Área de cultivo da lavoura de trigo na região do Alto Uruguai poderá ter redução de mais de 20%

0
1967

Os produtores da região do Alto Uruguai se preparam para o plantio das lavouras de inverno. A Emater/RS-Ascar, através do escritório regional de Erechim, estima inicialmente uma redução na área de cultivo do trigo para esta safra em 21% em relação à safra passada, quando foram cultivados 48.800 hectares com o cereal. A estimativa inicial de produtividade é de 3.500kg/ha.

O mesmo indicativo se dá para o plantio da cevada para esta safra. Na safra passada, a região do Alto Uruguai plantou 6 mil hectares com cevada que é destinada à maltaria. A produtividade média ficou em torno de 2100 kg/ha. A justificativa dos produtores na redução das áreas tanto do trigo como da cevada está nos preços do grão e no aumento dos insumos para a lavoura.

Criações

Alguns agricultores continuam realizando ações para implantação das pastagens de inverno, conforme informativo do escritório regional da Emater/RS-Ascar. No momento, é pequena a oferta de pasto para os animais. Além das pastagens, os produtores estão utilizando silagem, feno, grãos, farelos e ração na alimentação dos animais. O preço médio por litro de leite a ser pago aos produtores variaram de R$ 0,60 a 0,90, com tendência de estabilidade.

Na área da suinocultura, a redução nos preços do kg de suíno ocorrida nos últimos meses associada à alta nos preços dos insumos tem deixado os produtores preocupados com o retorno econômico da atividade. Segundo as empresas que atuam com a atividade na região continua estável o alojamento de matrizes e animais para o abate. O milho está sendo comercializado de R$ 22,00 a R$ 31,00 a saca. O quilo do farelo de soja de R$ 1,30 a R$1,70 e o kg do suíno vivo R$ 2,90.

As condições climáticas (10 a 25°C), das últimas semanas na região do Alto Uruguai, favorecem a atividade apícola. De acordo com levantamento da Eamter/RS-Ascar, os enxames estão com população menor por conta dos baixos índices de postura e da baixíssima oferta de flores e em consequência de néctar e pólen e também é baixa a reserva de mel. São poucas as espécies florando neste momento. Os apicultores continuam encaminhando praticas de preparação de colmeias para enfrentar o inverno, ou seja, alimentação para os enxames mais fracos, retirada das melgueiras e inclusão de redutores de alvados.

Na semana passada, duas mortandades de abelhas foram verificadas na região, segundo o escritório regional da Emater/RS-Ascar de Erechim, sendo uma em Três Arroios e outra em Barra do Rio Azul. Em Três Arroios, o apicultor Afonso Goetter perdeu 33 das 57 colmeias em seu apiário. Segundo o assistente técnico regional, Carlos Angonse, as abelhas apresentavam sintomas de perda de orientação, morte no interior e no alvado além de mel na colmeia que morreu. Situação idêntica foi relatada pelos produtores de Barra do Rio Azul. A Emater/RS-Ascar esta incentivando a alimentação de enxames neste momento por conta da situação de baixa população de abelhas e baixa reserva de mel nas colmeias. Na região existe baixa oferta e também baixo estoque de mel e boa procura pelo produto. Na comercialização direta ao consumidor, o preço variou de R$ 8,00 a R$ 12,00/kg.

Em relação à piscicultura, as chuvas de pequena intensidade e temperaturas mais baixas a noite e mais altas durante o dia, tornaram, de forma geral, as condições climáticas razoáveis para a atividade, na última semana. Neste momento, os piscicultores estão arraçoando principalmente os alevinos recém-introduzidos.