Banco de Sangue vai passar por nova inspeção do Centro Estadual de Vigilância em Saúde

0
433

Se depender dos esforços de algumas lideranças do Alto Uruguai, o Banco de Sangue de Erechim deve ser reaberto nos próximos dias. Na tarde desta quinta-feira (11), prefeitos e dirigentes da Associação de Municípios do Alto Uruguai (AMAU) estiveram visitando as instalações da instituição para definir ações que contribuam para a retomada das atividades da instituição. Recebidos pelo interventor judicial do Banco de Sangue, Jackson Arpini, os prefeitos conheceram as melhorias implantadas na estrutura da entidade, com destaque para novos equipamentos e mobiliários, além de ajustes nos processos de controle e coleta do material.

O administrador judicial também entregou ao grupo um relatório detalhado dos investimentos efetuados e da destinação dada aos recursos angariados junto à comunidade regional. Ao serem oficialmente informados do protocolo encaminhado na manhã desta quinta-feira ao Estado, pedindo o levantamento da interdição cautelar da instituição, determinada há cerca de 60 dias pela Centro Estadual de Vigilância em Saúde/CEVS, os prefeitos reafirmaram o compromisso de seguir colaborando financeiramente com o custeio do Banco de Sangue. O presidente da AMAU, Lirio Zarichta, antecipou que irá formalizar o encaminhamento de uma nova proposta de parceria aos prefeitos nos próximos dias.

Por sua vez, o prefeito de Erechim, Paulo Polis, já antecipou que o município irá realizar repasses complementares, assim como fez em 2015, para auxiliar no processo de recuperação das atividades normais do Banco de Sangue. Segundo a 11ª Coordenadoria Regional de Saúde, representantes do Estado devem vir a Erechim na próxima semana para realizar a inspeção que determinará a reabertura ou não. Caso eles entendam que há condições imediatas da retomada dos trabalhos, o Banco de Sangue deve entrar em funcionamento no dia seguinte.

O Banco de Sangue de Erechim foi interditado depois de um suposto “acidente de trabalho”, como foi tipificado a ação de uma funcionária que entregou uma bolsa de sangue contaminado pelo HIV, no Hospital Municipal Santa Terezinha, que foi ministrado a uma paciente internada.