Barra do Rio Azul sedia Fórum Microrregional de Fruticultura

0
144

O município de Barra do Rio Azul sediou, nesta quinta-feira (20), Fórum Microrregional de Fruticultura. O evento foi realizado na comunidade São Carlos do Rio Brasil, com palestras no Salão Comunitário e orientações práticas na propriedade da família Bortolanza, e reuniu produtores e técnicos de 10 municípios: Aratiba, Barra do Rio Azul, Barão de Cotegipe, Benjamin Constant do Sul, Erval Grande, Itatiba do Sul, Paulo Bento, Ponte Preta, Entre Rios do Sul e São Valentim. A promoção foi da Administração Municipal de Barra do Rio Azul e Emater-RS/Ascar.

Na abertura, pela manhã, participaram o prefeito de Barra do Rio Azul, Marcelo Arruda, vice-prefeito, Maximino Basso, presidente da Câmara de Vereadores, Silvino Madalozzo, gerente regional adjunto da Emater-RS/Ascar, Marcos Gobbo, coordenador da Secretaria Municipal da Agricultura, Benildo Trentin, gerente do escritório municipal da Emater-RS/Ascar, Jair Zorzanello, presidente da Comunidade São Carlos, Odacir Vanzetto, e o produtor Domingos Bortolanza.

O prefeito de Barra do Rio Azul, Marcelo Arruda, destacou a importância da fruticultura para os agricultores e os municípios da região. “É uma alternativa de atividade que podemos agregar renda. As nossas pequenas propriedades tem que ter mais que uma atividade, alinhada à fruticultura, suinocultura e avicultura. Em nosso Município, a fruticultura vem se tornando muito importante. Temos registrados, em Barra do Rio Azul, 65 produtores de citros, com 136 hectares plantados, 4 produtores de uva e 8 hectares plantados, 8 hectares de pêssego, 4 hectares de caqui e 2 hectares de ameixas. Nós temos que valorizar mais a agricultura e, para isso, vamos trabalhar forte, incentivando os agricultores. Como Poder Público, nós vamos ajudar o que podemos”, afirmou o prefeito Marcelo.

Logo após os pronunciamentos, o técnico da Emater-RS/Ascar, Agostinho Ceni, apresentou o trabalho e a produção na propriedade da família de Domingos Bortolanza que, atualmente, a fruticultura é composta por pêssego, caqui, uva, ameixa e citrus, além de três aviários.

Em seguida, aconteceram duas palestras: a primeira, sobre o “Incentivo à Fruticultura Geral e Mercado Regional”, com o engenheiro agrônomo Luiz Ângelo Poletto. Inicialmente, apresentou os índices de ICMS da agricultura e o retorno aos municípios da região Alto Uruguai. Ainda falou do levantamento frutícola/olerícola 2017, produção e número de produtores, e pontos fortes e fracos da região. Destacou também que “A Base da Fruticultura é a Qualidade das Mudas” e a plantação regional por hectare das variedades da citricultura, videira, abacaxi, banana, pêssego, caqui, noz pecã, maçã, morango, figo, melão, melancia, mirtillo, oliveiras e pitaya.

A segunda palestra, com o tema “Agregação de Valor às Frutas”, foi ministrada pelo engenheiro agrônomo Carlos Alberto Angonese, que destacou que “precisamos trabalhar com alternativas, agregar valor, pois as frutas geram desenvolvimento rural. As frutas produzem renda maior por hectare, geram empregos, alimento diferenciado”. E encerrou a palestra falando sobre a legalização de agroindústrias, onde a Emater pode ajudar com a elaboração do projeto, orientações, assistência técnica nas linhas de processamento, capacitação e apoio à etapa de comercialização; as vantagens e a legislação (tributária/fiscal, sanitária e ambiental).

Ao meio-dia foi servido almoço e, à tarde, as atividades continuaram na propriedade da família Bortolanza, com três estações didáticas de fruticultura:

1) Manejo adequado da videira e outras frutas, com o engenheiro agrônomo Antônio Conte;

2) Controle de doenças de videiras, com o engenheiro agrônomo Edgar Frank;

3) Manejo de solos para fruticultura, com o engenheiro agrônomo Cezar da Rosa e Jader Bragagnolo, professor da URI e Doutor em Ciências do Solo.