Benefícios e tipos de leites vegetais

0
321

Existem dois tipos de leites vegetais: aqueles que provêm dos cereais como arroz, aveia, quinoa, amaranto, trigo sarraceno, cevada e bulgur; e aqueles derivados dos frutos secos, como amêndoas, avelãs, gergelim, nozes, pistaches, pinhões, sementes de girassol, sementes de abóbora e castanha do Brasil.

Os primeiros têm um elevado teor de fibras, vitaminas e minerais, e não contêm colesterol, nem lactose. Um bom exemplo é o leite de aveia, que contém vitamina E, ácido fólico, oligoelementos e minerais, os quais ajudam a prevenir e combater o câncer e as doenças cardíacas.

Por outro lado, os leites que provêm dos frutos secos são muito nutritivos e completos. Eles são uma fonte de ácidos graxos de qualidade e cálcio.

Leite de arroz: Não tem lactose, nem colesterol, tem muito pouco cálcio e riboflavina e nada de vitamina D. O conteúdo de gordura e de sódio varia de acordo com marca do produto. É adocicado, mas bastante aguado.

Possui propriedades depurativas e hipotensoras e pode ser facilmente preparado a partir da fermentação dos grãos de arroz moídos e cozidos. Por não conter glúten, os celíacos podem tomar sem problema.

Leite de amendoim: Este tipo de leite é muito nutritivo e, ao mesmo tempo, saboroso. Contém vitamina E e proteínas. Melhora a hipertensão, diarreia moderada e resulta muito conveniente para dietas livres de colesterol e ácido úrico. Também é uma boa alternativa para os vegetarianos e pessoas com intolerância à lactose.

Convém tomá-lo frio, mas não gelado, e se for acompanhado de frutas ou hortaliças, como uva, laranja, tomate, cenoura, o seu valor vitamínico aumenta. Por isso, é recomendado o seu consumo no café da manhã ou com pão de trigo integral para o almoço ou jantar.

Leite de soja: Este leite vegetal administra proteínas e vitaminas do complexo B, reduz triglicérides e colesterol. O consumo é aconselhável no caso da osteoporose, já que contém estrogênios naturais e possui uma ação protetora contra o câncer de mama.