Bispos, padres e diáconos da Diocese refletem realização do Jubileu da Misericórdia

0
1032

Em sua quarta e última reunião ordinária anual, nesta terça-feira, no Seminário de Fátima, os Bispos, padres e diáconos da Diocese analisaram a natureza e aspectos práticos da celebração do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, de 08 de dezembro deste ano a 20 de novembro de 2016. Dom José ofereceu aos padres folheto a ser repassado a ministros e a outros agentes de pastoral com resumo sobre o ano jubilar, o sentido bíblico da misericórdia e da indulgência plenária, com a peregrinação à porta santa a ser aberta na Catedral no dia 13 de dezembro próximo. A indulgência plenária é graça especial que purifica a pessoa das consequências dos pecados cometidos. Ela pode ser obtida mediante estas condições: confissão recente, participação na missa, renovação da fé, oração nas intenções do Papa para o bem da Igreja e do mundo e peregrinação passando pela porta santa na Catedral diocesana ou prática de uma ou mais obras de misericórdia (doação de alimento ou vestuário aos necessitados, visita aos doentes ou presos, moradia aos desabrigados, sepultamento dos mortos, consolo aos tristes, conselho a quem precisar). Para os doentes, idosos e encarcerados há forma própria para alcançar esta indulgência. O site da diocese e o jornal Comunicação Diocesana oferecem diversos subsídios sobre estes e outros aspectos do ano jubilar da misericórdia.

Dízimo, fator e expressão de comunhão: Na parte inicial da reunião dos padres e diáconos nesta terça-feira, Pe. Gilson Samuel, pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, conduziu estudo sobre aspectos do dízimo, sua natureza pastoral, suas finalidades, caminhos para sua implementação. Para Pe. Gilson, o dízimo se desenvolve bem quando há espírito comunitário. Por ouro lado, é meio para conscientizar e ajudar as pessoas a assumirem melhor a vida comunitária. Duas exigências do dízimo são a corresponsabilidade e a gratuidade. O dízimo dá suporte para todas as pastorais e tem três finalidades, religiosa, social e missionária.

Revisão do orçamento e reformas de imóveis da Diocese: O ecônomo da Diocese, Ildo Benincá, apresentou aos padres e diáconos, em sua reunião nesta terça-feira, o andamento do orçamento financeiro da Cúria diocesana, do Setor Vocacional e do Seminário de Fátima com o que foi realizado e o que está por ser efetuado. As principais receitas são do dízimo, das promoções, de subvenções públicas e de aluguéis. Até o momento, verifica-se equilíbrio de receitas e despesas. Expôs o andamento das reformas do Seminário Maior da Diocese em Passo Fundo para os seminaristas da filosofia e da teologia, do Seminário Menor em Barão de Cotegipe e no de Fátima. Dom José ressaltou a colaboração dos benfeitores e voluntários do Seminário de Fátima nas promoções para reverter um período de déficit e obter o saldo positivo atual. Em relação aos recursos aplicados nas reformas, ressaltou a doação de um imóvel perto da Escola Branca por Dom Girônimo Zanandréa, há alguns anos, e que recentemente foi vendido. Dom José também voltou a apresentar o projeto de remodelação do Santuário e de sua esplanada. Inclui substituição da cobertura, reforma do espaço do altar, organização de capelinha do Santíssimo e de N. Sra., construção de confessionários, de altar campal permanente e de calçada exclusiva para pedestres da Av. Sete de Setembro ao Santuário e rebaixamento do monumento, com ampliação do velário. Para a execução do projeto, serão constituídas uma comissão técnica e outra de recursos.

Definição do nome dos seminários da Diocese: Até o momento, na Diocese, o nome de Seminário era atribuído ao de Erechim. A residência dos seminaristas da filosofia e teologia em Passo Fundo e do curso Propedêutico eram chamadas Casas de Formação. Dom José consultou os padres e diáconos, na reunião desta terça-feira, a respeito da denominação de Seminário Maior São José para a residência dos seminaristas em Passo Fundo e de Seminário Bom Pastor para a de Barão de Cotegipe. A proposta foi aprovada por unanimidade.

Avaliação e resultado financeiro da Romaria de Fátima: A Romaria anual é o evento religioso mais expressivo da Diocese de Erexim, com dez dias de procissão, missa, pregação, confissões e outras atividades espirituais. Mas ela tem também sua dimensão social, cujo retorno é investido na formação dos futuros padres. Na avaliação do evento, foram destacados, entre outros, estes aspectos: processo de preparação com definição do tema, do lema e do roteiro da novena; a participação nos cantos e orações da procissão, com roteiro conciso e em torno da temática geral; a procissão mais cadenciada possibilitando a oração de todo o terço em quase todas as noites; a presença no altar de quem preside a missa da noite desde o início da procissão; a divulgação nos meios de comunicação social; a bênção e o envio da imagem peregrina no projeto de celebração dos 100 anos das aparições; o cartaz e a ornamentação diária da imagem; a oração do terço antes da bênção com o Santíssimo no dia da romaria.

O resultado financeiro da Romaria foi de R$ 173.676,76, provenientes, em números arredondados, de coletas nas missas da novena e do dia da romaria, R$ 28.314,00; ofertas das paróquias e coleta na cidade de Erechim, 92.564,00; churrasco, R$ 17.745,00; cozinha, R$ 29.290.00; objetos religiosos, R$ 21.268,00; bebidas, R$ 5.859 e outros, o restante.

Dom Girônimo comunica futuro destino de sua residência: Em gesto expressivo, Dom Girônimo Zanandréa, bispo emérito, comunicou ao Bispo diocesano, aos padres e diáconos, na reunião desta terça-feira, sua intenção de deixar em testamento a doação para a diocese da residência que acaba de construir, cuja legalização para o “habite-se” está finalizando. Ressaltou que construiu sua casa administrando bem os recursos provenientes da herança familiar e do que recebeu como padre, professor e bispo. Os presentes expressaram seu reconhecimento com calorosa salva de palmas.

Retorno à Diocese do Pe. José Carlos Sala: No início da reunião dos padres e diáconos nesta terça-feira, Dom José expressou carinhosa acolhida ao Pe. José Carlos Sala que retorna à Diocese depois de sete anos em Brasília na assessoria à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, no Setor de Música e Canto Pastoral da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia e de um tempo de tratamento de saúde.