Cinco mitos que você precisa saber sobre exercícios aeróbicos

0
556

Como já sabemos, os exercícios que estimulam o trabalho do sistema cardiovascular, como esteira, bike, elíptico, etc, trazem diversos benefícios para a saúde. Contudo, muitas “vantagens” desse tipo de atividade, frequentemente divulgadas, não passam de mitos infundados, que podem comprometer, quando não, interromper seu estilo de vida fitness. Conheça cinco dessas lendas e diminua o risco!

1. Fazer apenas (e muito) aeróbico ajudar a perder peso mais rápido
Especialistas afirmam que atividades aeróbicas em excesso podem mandar embora os músculos, além da gordura. Por isso, é importante combiná-los a exercícios de força no dia a dia. Além disso, por aumentar a massa magra, o treino muscular também eleva a taxa de metabolismo basal, que indica a nossa capacidade de gastar calorias em repouso.

2. Não adianta fazer aeróbico durante pouco tempo
Qualquer movimento corporal nos faz gastar calorias, principalmente os exercícios aeróbicos. Por isso, também existem métodos de treinamento que aumentam esse gasto pela intensidade de execução, independentemente do tempo, como Treinamento Intervalado de Alta Intensidade (HIIT). Segundo a Associação Americana do Coração, três sessões intensas de 20 minutos de corrida na esteira equivalem a cinco sessões de 30 minutos de caminhada. Uma pesquisa também mostrou que até sessões curtas e pouco frequentes de corrida fazem bem ao coração.

3. Fazer aeróbico em jejum queima mais gordura
Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o gasto calórico e a consequente queima de gordura ao fazer qualquer tipo de exercício (aeróbico e anaeróbico) são certos e indiferentes ao consumo de alimentos antes da atividade. Mas pesquisas mostram que treinar de estômago vazio também pode “incinerar” os músculos, que passam a ser utilizados como fonte de energia no lugar do lanche pré-treino.  Sem falar que “sem combustível”, você não treina coma mesma eficiência, o que também compromete o resultado da atividade.

4. Para queimar gordura, é preciso se manter na “zona de queima de gordura”
As atividades aeróbicas de baixa intensidade, como a caminhada, nas quais a frequência cardíaca fica em ritmo considerado favorável à queima de gordura, realmente garantem maior gasto desses excessos em forma de calorias (40%) do que as atividades intensas, como a corrida, pela qual é possível eliminar apenas 15% de gordura no total de calorias gastas. Contudo correr gasta o dobro de energia no mesmo espaço de tempo do que caminhar, e é nisso que você leva vantagem na hora de preferir uma atividade á outra.

5. Não é bom treinar perna antes de uma corrida ou trilha de bike
Exceto se você vai praticar atividades de ultra resistência, como dar sprints (tiros de corrida) na subida, ou colocar a marcha da bike no máximo. A musculação melhora o desempenho, principalmente, nessas (e em outras) atividades, que têm como base os membros inferiores, e deve ser praticada com o objetivo de fortalecer e desenvolver os grupos musculares dessas regiões, que são os maiores do nosso corpo.