Começa colheita de pêssegos na região Alto Uruguai

0
1566

A colheita do pêssego já iniciou no Alto Uruguai. Os consumidores podem encontrar a fruta grande e com alto teor de doçura, garantidos pelas condições climáticas. A expectativa da Emater Regional é que, se não ocorrerem novos temporais, com excesso de chuva, granizo e ventos fortes, o fruto não será danificado, bem como sua doçura não será influenciada pela umidade, deixando-o mais aguado.

O agrônomo da Emater, Luiz Ângelo Poletto, diz que a safra tende a ser maior do que a do ano passado, em termos de produtividade. Já em relação à área, a fruta perdeu nos últimos três anos 42 hectares, ocupando atualmente 81 hectares. “A atividade exige bastante mão de obra, qualificação e pomares novos. Muitos produtores ficaram desestimulados e abandonaram a atividade. Mas a fruticultura é uma importante atividade no meio rural da região, pois, além de diversificar as atividades, serve para aumentar a renda das propriedades. Na região, as frutas ocupam mais de 3 mil hectares, envolvendo 2,5 mil produtores”, destaca Poletto.

Os municípios que mais cultivam pêssego no Alto Uruguai são Barra do Rio Azul, Erechim e Floriano Peixoto, especialmente destinando o fruto para consumo in natura.

O produtor Domingos Bortolanza, de Barra do Rio Azul, tem sua propriedade na localidade Rio Brasil e é quem possui a maior área plantada com pêssegos na região. São 21 hectares com frutas em produção, sendo 11 ha de pêssego cultivados para venda in natura. Ele abastece a rede de um supermercado e este ano começou a comercializar também para a Cooperativa Alfa, de Chapecó.

São diversas variedades de pêssego plantadas na propriedade e as mais precoces (PS, PIT e Premier) já iniciaram as vendas. O produtor ainda possui plantadas as variedades Chimarrito (com área de quatro hectares), Chiripá (com dois ha) e as variedades Sulina e Top Now, mais tardias.

Bortolanza iniciou sua safra e já foram colhidas três toneladas. A produção total estimada é de 120 a 150 toneladas. Os preços para o produtor no momento variam de R$ 3 a R$ 4 por quilo, mas em safra plena a previsão é baixar para R$ 2 a R$ 2,50 por quilo.

“A qualidade do fruto é ótima, com tamanho excelente e livre de doenças”, ressalta Poletto.

A produção regional abastece os mercados e feiras do Alto Uruguai, mas também vem frutos de outras regiões para atender a demanda. O Rio Grande do Sul é o maior produtor de pêssegos do país, seguido de São Paulo.