Copiloto de avião passou por tratamento psiquiátrico, diz jornal

0
649

O copiloto da Germanwings suspeito de ter derrubado de forma proposital um Airbus A320 nos Alpes franceses esteve por um ano e meio sob tratamento psiquiátrico antes de completar sua formação, afirmou nesta sexta-feira (27) o jornal alemão “Bild”. O acidente, que ocorreu na última terça-feira (24), deixou 150 mortos.
De acordo com o jornal, que cita como fontes “círculos da Lufthansa”, as razões pelas quais Andreas Lubitz, de 28 anos, interrompeu sua formação em 2009 estão relacionadas a uma grave depressão diagnosticada nesta época.
om base em fontes e documentos internos da Lufthansa, o “Bild” disse que Lubitz passou no total um ano e meio em tratamento psiquiátrico e que documentos relevantes serão enviados aos investigadores franceses após serem examinados por autoridades alemãs.
A edição digital da revista “Der Spiegel” afirma, além disso, que nas operações realizadas nesta quinta (26) durante horas nas duas casas do copiloto – a de seus pais e a própria, em Düsseldorf – foram apreendidos materiais que respaldam a tese dos transtornos psíquicos.
A revista não apresenta, no entanto, mais detalhes sobre os materiais apreendidos.
A polícia alemã apenas informou que recolheu pistas em uma das residências do copiloto.
“Durante a inspeção do apartamento do copiloto, recolhemos pistas. São vários objetos e documentos”, afirmou o porta-voz da polícia de Dusseldorf, Marcel Fiebig.
Os policiais apreenderam um computador e duas grandes malas, além de uma caixa, visivelmente cheias, após as inspeções nas duas casas do copiloto, em Dusseldorf e em Montabaur, no estado de Renania-Palatinado (oeste da Alemanha).