Depressão pós-parto tardia – Quais são os sintomas?

0
557

Toda gravidez é um período complicado para as mães. Não importa se é a primeira, segunda ou terceira vez que a gestante engravida, sempre se trata de uma situação delicada.

Enjoos, dores de cabeça, salivação excessiva, dores nas costas, descontrole emocional, vontades repentinas, fome, falta de apetite entre tantos outros incômodos norteiam a gestação.

A mãe precisa aprender ou mesmo reaprender como passar por cada um. Além disso, ainda há os detalhes externos.

Depressão pós-parto tardia: porquê acontece?
Já é claro que os hormônios permanecem alterados e, por isso, a condição psicológica das grávidas é instável.

Porém, se é durante esse período somente que há o desequilíbrio, por que acontece uma depressão após ter-se passado um longo tempo do nascimento do bebê?

O aparecimento dos problemas ocorre pela quantidade de hormônios que é produzida na gravidez e vai decaindo ao longo do tempo provocando oscilações e reações possivelmente perturbadoras nas mães. Há mulheres mais propensas e sensíveis a isso que outras.

Estudos continuam evoluindo sobre a análise dos episódios que sucedem o parto. Há uma indicação de que 20% das mulheres demonstram instabilidade das faculdades mentais ao longo do primeiro ano dos filhos.

Esses transtornos não se enquadram sempre no quadro de depressão.

Muitas vezes é ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo, bipolaridade e ataque do pânico, podendo surgirem outros menos comuns.

A chamada “depressão pós-parto” é muito mais falada por sua popularidade, mas seus sintomas são bastante específicos e devem ser observados.

Depressão pós-parto tardia – Quais são os sintomas?
– Fuga da realidade.
– Falta de sensibilidade com situações passadas pela criança.
– Estresse excessivo, principalmente com o bebê.
– Insônia recorrente ou sonolência exagerada em horários impróprios.
– Pensamentos destrutivos consigo mesma, com o filho ou com demais pessoas.
– Leite seco prematuramente.
– Negação a fazer as tarefas com a criança como dar banho, trocar as roupas, trocas a frauda e alimentar.
– Reclusão social.
– Sentimento de culpa (algumas mães chegam a cortar relações com os filhos para não agredi-los ou prejudica-los de outra forma por impulso).
– Falta de apetite.
– Ausência de motivação.

Depressão pós-parto é culpa da mãe?
A depressão pós-parto nunca pode se encarada como culpa da mãe. Ela acontece independentemente da vontade da mulher.

Não é fruto de mau caráter ou de desamor pelo filho.