Doenças respiratórias podem se agravar com a chegada do frio

0
524

O frio está chegando e junto com ele as doenças respiratórias atacam a população com as rinites, sinusites e bronquites, além da gripe e dos resfriados. Para evitar essas doenças, é importante tomar alguns cuidados para preservar a saúde.

É o que conta Rodrigo Pêgo, médico membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial.

“Os principais cuidados nessa época do ano são uma boa hidratação de no mínimo dois litros a dois litros e meio, dependendo de cada pessoa; se agasalhar bem, proteger sempre a garganta com casaco ou lenço no pescoço ou cachecol; evitar aglomerações nessa época de inverno: ao se aglomerar em ambientes fechados o contato com o vírus pode ser mais intensificado e o aparecimento de doenças mais presente; caso faça alguma atividade ao ar livre, usar roupas leves; sempre se hidratar; ter uma boa alimentação; e uma boa noite de sono de no mínimo oito horas por noite”.

As mães também devem tomar certos cuidados com seus bebês. Crianças de até 6 meses tem o sistema imunológico, aquele que defende o corpo dos vírus, ainda muito baixo, o que deixa a criança exposta às doenças comuns na época de frio.

“Obviamente existe mais cuidados para crianças abaixo de seis meses: evitar ambientes com aglomeração, no caso de crianças em creches; uma boa hidratação; ambiente arejado; e evitar contato com alguma criança, parente ou pessoa próxima a criança que esteja doente porque a criança tem uma baixa imunidade natural e isso facilita o aparecimento de qualquer tipo de doença”.

Aquelas pessoas que já sofrem de doenças respiratórias como asma, bronquite, rinite alérgica e sinusite também devem tomar cuidados especiais para evitar que o quadro se agrave. Segundo o médico, a principal dica é evitar ambientes com poeira e fumaça de cigarro e deixar o ambiente onde vivem ventilado.

A vacinação contra a H1N1 também é uma arma contra a gripe durante essa época do ano. Pessoas com doenças crônicas, idosos com mais de 60 anos, detentos, agentes penintenciários, crianças de seis meses a 5 anos e mulheres em situação pós-parto podem tomar a dose que está disponíveis nos postos de saúde até o dia 20 de maio.