Em depoimento à PF, Calero diz que Temer o pressionou no caso Geddel

0
220

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero afirmou, em depoimento à Polícia Federal, que o presidente Michel Temer o pressionou para que encontrasse uma “saída” para a obra, em Salvador (BA), de interesse do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

O empreendimento, chamado La Vue Ladeira da Barra, foi embargado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Após pedir demissão do governo, na semana passada, Calero acusou Geddel de pressioná-lo para que o órgão – ligado ao Ministério da Cultura – liberasse o projeto imobiliário.

O edifício de alto padrão, onde Geddel adquiriu um imóvel, não foi autorizado pelo instituto por ferir o gabarito da região, que fica em área tombada da capital baiana.

Investigação

Na última segunda-feira, a Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu abrir procedimento para apurar a conduta ética de Geddel Vieira Lima. No mesmo dia, o porta-voz da presidência, Alexandre Parola, informou que o ministro permanecerá à frente da Secretaria de Governo.

O Palácio do Planalto não comentou as denúncias do ex-ministro da Cultura.

Demissão

Marcelo Calero pediu demissão, na semana passada, alegando “motivos pessoais”. Na última terça-feira, o deputado Roberto Freire (PPS-SP) foi nomeado para o cargo de ministro da Cultura pelo presidente Temer.