Em dia excepcional, a Romaria histórica do Centenário de Fátima

0
253

Algumas previsões apontavam chuva para este domingo (8), mas foi o sol que apareceu, mesmo que timidamente, no início da manhã deste segundo domingo de outubro, Dia Nacional do Nascituro e de romarias marianas em todo o Brasil. Às 9h, já com sol esplêndido, num dia excepcional, Dom José Gislon, Bispo Diocesano de Erechim, dava início à grande procissão da Romaria histórica do Centenário de Fátima, da Catedral ao Santuário da cidade.

Na chegada da imagem de Fátima no altar campal, a multidão que veio na procissão se juntou ao já elevado número de fiéis concentrados na esplanada. Crianças representando anjos fizeram a coroação da imagem. Dom José prosseguiu com a oração inicial da missa concelebrada pelo Bispo emérito, Dom Girônimo e pelos padres da Diocese, ficando mais próximos do altar o Vigário Geral da Diocese, Pe. Cleocir Bonetti, o Coordenador Diocesano de Pastoral, Pe. Maicon Malacarne, e três jubilares, Pe. Ângelo Rosset e Milton Mattia, bodas de ouro de ordenação presbiteral, e Pe. Dirceu Dalla Rosa, bodas de prata. A missa contou com diversos instrumentistas e equipe de canto da Romaria, com a regência do Pe. José Carlos Sala e Pe. Olírio Streher.

No início da homilia, Dom José registrou que a Romaria histórica do Centenário de Fátima estava sendo realizada com o Santuário revitalizado e a ser declarado oficialmente de caráter diocesano. Mencionou a mensagem de Nossa Senhora aos três pastorinhos em Fátima há cem anos. Eles enfrentaram muitas dificuldades até que ela tocasse o coração dos adultos e da Igreja. Para o Bispo, a mensagem de Fátima é compreensível à luz do coração materno que acolhe a vida e protege seus filhos das forças do mal e ilumina sua caminhada para serem fiéis ao seu Filho Jesus. Observou que ela também foi peregrina como os romeiros que estavam reunidos com ela e por ela. Visitando sua prima Isabel, proclamou o profético hino do louvor a Deus Pai pelas maravilhas que realiza em favor dos pobres e humildes e com eles. Finalizou desejando que Maria, venerada com o título de N. Sra. de Fátima, continue acolhendo em seu materno coração os pedidos dos seus devotos e intercedendo junto ao seu Filho Jesus em favor de cada um, de suas famílias e do bem comum de todo o querido povo de Deus. (Adiante, íntegra da homilia do Bispo)

Oficialização do Santuário diocesano
No final da missa da histórica Romaria do Centenário de Fátima, Dom José declarou o já chamado Santuário de Fátima canonicamente Santuário Diocesano, através de Decreto lido pelo Vigário Geral da Diocese, Pe. Cleocir Bonetti. O documento recorda que ao assumir a recém-criada Diocese de Passo Fundo, em 1951, Dom Cláudio Colling encaminhou a construção do Seminário menor N. Sra. de Fátima em Erechim, com um futuro Santuário em anexo, para ser centro de promoção vocacional e de devoção a Nossa Senhora em toda a região. No ano seguinte, foi erguido um monumento para a imagem de N. Sra. de Fátima, no terreno do futuro Seminário, em torno do qual começaram a ser realizadas as romarias anuais. A imagem foi doada pelo Cônego João Sorg, da Paróquia Bom Jesus, de Carazinho. Em 16 de outubro de 1960, por ocasião da 9ª Romaria de Fátima, foi inaugurado o projetado Santuário, assim chamado mesmo que não tivesse sido oficializado como tal. O Santuário é agora oficializado como Santuário Diocesano, a fim de que nele, conforme o Direito Canônico, “sejam oferecidos aos fiéis meios de salvação mais abundantes, anunciando com diligência a Palavra de Deus, incentivando adequadamente a vida litúrgica, principalmente a Eucaristia e a celebração da penitência, e cultivando as formas aprovadas de piedade popular”. Em vista disso, Dom José estabelece que o Santuário esteja aberto diariamente, com celebração da Eucaristia e da Penitência, novena permanente a Nossa Senhora de Fátima, e aconselhamento espiritual; suas atividades estejam em sintonia com o Plano da Ação Evangelizadora, as atividades e diretrizes da Diocese, as normas litúrgicas da Igreja e suas orientações a respeito dos Santuários, como a Carta da Congregação para o Clero de 15 de agosto de 2011; que em sua esplanada e nas dependências do Seminário sejam promovidas atividades que preservem sua característica de centro de espiritualidade e formação cristã.

Placa comemorativa à revitalização do Santuário
Após a promulgação do decreto de oficialização do Santuário como diocesano, Dom José, com os padres e as equipes de projeto de revitalização do Santuário, dirigiu-se para a lateral da porta central do mesmo, onde foi descerrada placa comemorativa. Ela registra o nome dos integrantes das equipes do projeto e a manifestação de gratidão do Bispo a Deus e aos antepassados que construíram o conjunto do Seminário e aos benfeitores do projeto de revitalização do Santuário e o seu desejo de que o mesmo Deus os recompense e que Nossa Senhora do Rosário de Fátima estenda seu manto protetor sobre todos os diocesanos, suas famílias e suas comunidades.

A oração do terço, oração pedida por N. Sra. em Fátima
Às 14h, houve o segundo momento de oração na esplanada do Santuário, nesta 66ª Romaria de Fátima, a do Centenário de Fátima. Pe. Valter Girelli motivou a recitação do terço, oração pedida por N. Sra. através pastorinhos em 1917 para se alcançar a paz no mundo em guerra. Lembrou algumas realidades dramáticas dos dias atuais, anunciou cada mistério do terço, propôs algumas intenções e pessoas da equipe de liturgia do santuário iam rezando as dezenas, alternadas por estrofes do hino do centenário de Fátima, composto pelo Pe. José Carlos Sala.

Bênção dos objetos religiosos e da saúde
Um terceiro momento de celebração no altar campal da Romaria deste domingo foi a bênção dos objetos religiosos e a bênção da saúde com o Santíssimo Sacramento, presididas pelo Bispo Diocesano. Dom José invocou a bênção sobre os objetos religiosos dos romeiros, sobre suas casas e carros, representados nas chaves, e sobre a água com a qual diversos agentes da pastoral da saúde aspergiram o povo.

Em seguida, o Santíssimo Sacramento foi levado da capela da residência episcopal ao altar campal pelos dois padres que celebram jubileu de ouro sacerdotal neste ano, Angelo Rosset e Milton Mattia.

Proclamada a passagem do evangelho que narra a cura do cego de Jericó, Dom José dirigiu breve mensagem aos participantes. Disse que todos estavam colocando sua vida, com suas alegrias e dores, diante do olhar materno de Maria. Assegurou que ela e seu Filho Jesus acolhem a todos. Destacou a fé do cego que clamava a Jesus pedindo ajuda, certo de que se se encontrasse com Ele poderia enxergar. Jesus lhe deu a visão dos olhos e também a visão da fé. Exortou a todos a apresentarem, com toda confiança, seus pedidos a Jesus.

Missas e bênçãos individuais no Santuário e confissões no Seminário
Além das celebrações no altar campal, como nos últimos anos, a Romaria de Fátima teve sete missas no Santuário, às 5h30, para os trabalhadores, presidida por padre do Seminário; às 06h, também presidida por padre do Seminário; às 07h, presidida pelo Pe. Edinaldo dos Santos Bruno, de Itatiba do Sul; às 08h, presidida pelo saletino Tiago Costa, com equipe de leigos saletinos de Marcelino Ramos; às 12h30, presidida pelo Pe. Gilson Samuel e equipe de Paulo Bento onde é Pároco; às 16h, presidida pelo Pe. Cleocir Bonetti, Vigário Geral da Diocese e que ajuda na Paróquia Santa Luzia, Bairro Atlântico, com a participação do coral N. Sra. de Fátima, regido pelo Pe. José Carlos Sala, com equipe de animação também da Paróquia Santa Luzia, da qual é Pároco; as 19h, a cargo dos padres e equipe do Santuário. Após a missa campal e a das 12h30, padres e diáconos abençoaram individualmente os fiéis que desejavam. Desde cedo até a chegada da procissão para a missa campal, padres atenderam confissões no Seminário.

Serviços da Romaria
Conforme o coordenador geral da Romaria, Pe. Valter Girelli, ela deve seu êxito à participação e colaboração de muitas pessoas, famílias, comunidades, empresas, entidades e poder público. Desde o início da novena e no dia da Romaria, elevado número de voluntários atua em diversos setores de serviços: liturgia e canto, espaço da criança, orientação das confissões, coordenação geral da parte social, coletas, limpeza e ornamentação, sonorização, atendimento à saúde pela equipe do Hospital de Caridade, tendas dos objetos religiosos, orientação do estacionamento nos espaços da esplanada durante a novena, praça da alimentação, com cozinha, assados de frangos e leitões e churrasco. O churrasco vem sendo preparado por equipe da Paróquia de Severiano de Almeida há 40 anos.