Gravidez tranquila e bebê saudável: invista na alimentação

0
929

Ao saber que o exame de gravidez deu positivo, a maioria das mulheres começa a prestar mais atenção em informações sobre o que podem e o que não podem fazer durante a gestação. Muitos dos assuntos têm relação com a comida, uma vez que uma alimentação saudável é essencial não apenas para a mãe, mas também para o desenvolvimento do feto.

A nutricionista Flávia Ramos, especializada em nutrição gestacional, esclarece algumas das dúvidas mais frequentes sobre o assunto.

A alimentação previne problemas?
Ela é essencial para evitar o surgimento de complicações, como a eclampsia (pressão alta), a diabetes gestacional e a retenção de líquido. Também ajuda na recuperação da forma física após o parto, além de garantir a formação de células saudáveis, a boa constituição muscular e óssea e o peso adequado do bebê.

A grávida deve comer “por dois”?
Não. Deve, sim, respeitar suas necessidades calóricas, que normalmente são calculadas com base no peso, na altura, na idade e na atividade física. O limite para as refeições, em média, é de 300 a 500 calorias no almoço e no jantar e de 200 a 300 calorias no café da manhã. Já os lanchinhos devem ser de 50 a 150 calorias. O importante é sempre ingerir alimentos ricos em nutrientes e que resultem em um equilíbrio para o corpo. Ou seja, o ideal é evitar o exagero de carboidratos, por exemplo, ou de açúcares.

Quem enjoa muito pode reduzir o intervalo entre as refeições?
Para evitar tanto o incômodo quanto a hipoglicemia, o período pode ser de 2 em 2 horas.

Há um limite de quilos que se pode ganhar até o nascimento?
Isso depende do peso e da avaliação do médico, mas a indicação de especialistas é, em média, de 9 a 12 quilos. Quanto mais acima do peso a mulher estiver antes de engravidar, menos ela poderá engordar. Consulte sempre o seu médico.

Como lidar com o intestino preso?
É comum que isso aconteça no primeiro trimestre. Use linhaça ou chia, prefira vegetais verdes, beba muita água e tempere a salada com azeite cru.

Suplementos são permitidos?
Só com orientação especifica do ginecologista ou nutricionista.

Os chás são proibidos?
Evite os com cafeína, como o verde, o preto, o vermelho e o branco.

Há uma quantidade segura para bebidas alcoólicas?
O ideal é evitá-las (em excesso, aumentam o risco de uma síndrome alcoólica fetal, a presença de defeitos congênitos causados pelo consumo materno). Se ainda assim tiver vontade, consulte seu médico antes.

E quanto ingerir de água?
De dois a quatro litros por dia.

Alimentos crus devem ser evitados? E salada fora de casa?
O médico deve pedir um exame que mostre se a gestante já teve ou não toxoplasmose (doença infecciosa transmitida por carnes malpassadas ou vegetais mal lavados que pode causar aborto espontâneo e até problemas de visão no bebê). Se o resultado mostrar anticorpos negativos, deve-se evitar saladas preparadas por terceiros, alimentos crus, como sushis e sashimis, e carnes malpassadas.