Inter vence o Juventude por 3 a 0 e conquista o hexa do Gauchão

0
977

Pela terceira vez na história, o Inter conquistou o hexacampeonato gaúcho. A vitória por 3 a 0 sobre o Juventude, no Beira-Rio, com gols de Sasha, de Paulão e de Gustavo Ferrareis, assegurou ao clube o 45° título estadual — contra 36 do Grêmio. Os demais hexas colorados foram de 1940 a 1945, depois, de 1969 a 1974, e o atual, construído desde 2011. Com um futebol eficiente, o Inter fez o placar e controlou um Juventude, que já havia sido derrotado no jogo de ida, por 1 a 0.

Antes da final, o Inter prestou homenagens ao ex-atacante colorado Larry Pinto de Faria, que morreu na sexta-feira, aos 83 anos, devido a uma pneumonia. Uma placa com a foto do ex-jogador, com os dizeres ¿Obrigado Larry¿, foi instalada na arquibancada inferior. Além disso, todos os jogadores foram para o aquecimento vestindo a camisa 9, com o nome de Larry às costas.

Ainda no começo da tarde, os familiares dos jogadores e dos integrantes da comissão técnica do Inter participaram da concentração final no hotel onde a delegação se hospeda. Depois, todos foram juntos ao Beira-Rio. O clube queria demonstrar mobilização.

Nos telões do Beira-Rio, o clube apresentava a campanha #pelavigésima, em uma referência que a conquista do Gauchão representaria a vigésima taça do Inter em 15 anos — também em uma provocação ao grande rival, cuja última grande conquista, a Copa do Brasil, data justamente de 15 anos atrás. Nas arquibancadas, uma festa em vermelho. Entusiasmados, os torcedores do Inter ostentavam até o placar de Inter e Juventude de 2008: 8 a 1. Com enormes números de papelão, os torcedores pareciam celebrar a conquista de 2016 ainda antes de Anderson Daronco apitar o início da partida. Em papelão também se avistava uma floresta de caixões me azul, preto e branco e em verde e branco, nas arquibancadas.

Quando os times foram a campo e, na inferior, surgiu um escudo do Inter com 20 metros de altura, escudado por faixas em vermelho e branco e bandeiras com as principais taças do clube. O grand finale do pré-jogo se deu no que deveria ser o minuto de silêncio a Larry. De pé, os torcedores ovacionaram a imagem do ex-atacante, que surgiu nos telões do Beira-Rio.