Latrocínios caem e homicídios crescem no Rio Grande do Sul

0
43

Pelo terceiro trimestre consecutivo este ano, os índices de latrocínio registraram queda no Rio Grande do Sul. A redução seria de 28,3% entre janeiro e setembro de 2017, em relação ao mesmo período de 2016. Porém, homicídio doloso teve alta de 3,4%. O balanço parcial dos dados estatísticos da criminalidade no RS foi divulgado pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) na manhã desta quarta. O levantamento apontou ainda que a diminuição os latrocínios em Porto Alegre foi ainda mais acentuada, ficando em 59,4%. Para o secretário Cezar Schirmer, os números dos nove primeiros meses do ano refletem o esforço do governo e a efetividade da atual estratégia definida para o setor. “Com reforço na Brigada Militar e na Polícia Civil foi possível dar continuidade às ações que definimos em nosso planejamento, cujos resultados podem ser observados nos indicadores”, destacou.

Entre os 18 indicadores que compõem a divulgação oficial, 13 apresentam redução no âmbito estadual. Além do latrocínio, a SSP constatou queda em crimes como ameaça contra mulheres (5,5%), furto (- 10,4%), furto de veículo (- 15,5%), furto de bancos (- 33,1%), roubo de bancos (- 16,9%), furto de comércio (- 5,6%), roubo de comércio (- 21%), roubo de usuários do transporte coletivo (- 31,1%), roubo de profissionais do transporte coletivo (- 21,7%), extorsão mediante sequestro (- 6,7%), estelionato (- 1,7%) e abigeato (- 23,8). Já os crimes de estupro de mulheres e roubo não apresentaram alteração em seus percentuais.

No entanto, três indicadores criminais registram aumento: homicídio doloso (3,4%), roubo de veículos (1,8%) e lesão corporal contra mulheres (0,8%). A SSP constatou que o homicídio doloso ainda registra alta no RS, mas detectou o início de uma tendência de diminuição. “No último levantamento, tínhamos alta de 7,9%. Agora, esse índice foi cortado pela metade”, citou Cézar Schirmer. Ele salientou uma queda ainda maior dos homicídios em Porto Alegre. “A última divulgação apontava a diminuição de 10,2%. Agora, atingimos uma redução de 15,8%”, comparou.

Em relação ao abigeato, a redução foi de 23,8% no terceiro trimestre de 2017. A curva descendente neste tipo de delito, assinalou a SSP, já podia ser observada no levantamento do primeiro semestre, divulgado em agosto, quando os indicadores apontavam redução de 23,5%. Houve 6.100 ocorrências em 2017 contra 8.011 no mesmo período de 2016. “Com a criação das Delegacias Especializadas em Crimes Rurais e Abigeato tenho convicção de que avançaremos ainda mais”, previu o secretário.

Fonte: Correio do Povo Online

Via: Marciano Rorig