Nove toques para quem tem osteoporose

0
538

Osteoporose pode combinar, sim, com qualidade de vida. Conheça nove atitudes importantes no dia a dia:

1. Exercícios para evitar quedas
Quando você tem osteoporose, a melhor maneira de evitar quedas é tendo boa musculatura, bom equilíbrio e coordenação. Os exercícios físicos podem ajudar muito nessa prevenção. O exercício melhora a força, a flexibilidade e o equilíbrio – que podem ser fundamentais nesse momento. Mesmo atividades de baixo impacto, como caminhar ou nadar, que não são tão eficientes para estimular a formação de ossos, podem ser muito benéficas na prevenção de quedas. Exercícios ou esportes que envolvem muita flexão e torção do tronco como o golfe, ou aqueles com um alto risco de queda, como o esqui, devem ser evitados. Tai chi pode ser uma ótima opção.

2. Converse com seu médico
Com o passar dos anos, aumentamos muito a quantidade e variedade de medicamentos que tomamos a cada dia. O que mais agrava essa mistura é o fato de irmos a vários médicos para tratarmos de problemas diferentes. Em cada médico recebemos um tratamento. Muitas vezes não nos lembramos de informar o que já estamos tomando e corremos o risco de tomar a mesma droga com nomes diferentes. Muitos medicamentos e combinações de drogas podem deixá-lo muito sonolento ou com tonturas. Reveja com o seu médico tudo aquilo que toma. Você ainda precisa de todos eles? Poderia tomar doses menores? Será que vale a pena você mudar os medicamentos? Além disso, pergunte sobre outras condições de saúde que poderiam deixá-lo instável. Problemas nos olhos e ouvidos podem perturbar o seu equilíbrio.

3. Olhe onde pisa
Tenha cuidado onde você pisa. Nem todas as nossas calçadas estão em boas condições ou foram feitas com material adequado que evita escorregões. Se uma calçada parece escorregadia, ande com muito cuidado na rua ou procure a calçada do outro lado para ver se está em melhores condições. Em dias de chuva, tenha ainda mais cuidado para não pisar em buracos escondidos pelas poças de água. À noite, procure andar em ruas bem iluminadas, ou tenha uma lanterna para ajudar a clarear a calçada. Pisos como mármore ou azulejo polido podem ser muito escorregadios, ficando ainda piores quando molhados. Se for inevitável andar nesses pisos, dê passos curtos e ande bem mais devagar.

4. Use sapatos corretos
Andar descalço ou com meias pode aumentar o risco de quedas. O ideal é usar sapatos mesmo dentro de casa. Escolha calçados com saltos baixos e solas antiderrapantes. A sola não pode ser tão aderente ao solo que “prenda” o pé no piso durante a marcha. Certifique-se de que seus sapatos se encaixam corretamente no seu pé. Se necessário, use uma calçadeira para ajudar a colocá-los. Chinelos de dedo, muito populares no Brasil, não são uma boa opção. São ainda mais arriscados quando existe alguma alteração da sensibilidade nos pés. Quando os pés são insensíveis, o chinelo pode sair do pé sem que a pessoa perceba e pode se enroscar levando a quedas.

5. Organize a casa
Organize os móveis para permitir mais espaço livre entre eles, que permita andar sem tropeçar. Mantenha mesas baixas, porta-revistas, cadeiras e plantas fora de seu caminho. Remova do meio do caminho tudo o que puder se transformar em obstáculo, como brinquedos de netos, caixas, sapatos ou chinelos, jornais ou pilhas de roupas. Certifique-se de que cabos elétricos e fios de telefone estejam fora da passagem. Não se esqueça de organizar também o quintal e a parte de fora da casa.

6. Ande devagar
Em casa, não se apresse para sair da cama ou levantar de uma cadeira. Alguns segundos imediatamente após se levantar muito rápido, depois de passar algum tempo sentada ou deitada, pode sentir tontura. Caso isso aconteça, é melhor que ainda esteja próximo da cadeira ou da cama e que possa se sentar com segurança. Não corra para responder a campainha ou o telefone. Mais acidentes acontecem quando você está com pressa. Não corra para pegar elevadores e não tente pará-los com o seu braço ou perna. Avalie as calçadas e degraus por onde deverá passar.

7. Use dispositivos de segurança
Instalar barras de apoio e tapetes de borracha no banheiro pode dar bastante segurança e controle da situação. Importante ter corrimãos de ambos os lados da escada. Certifique-se de todos os tapetes por onde costuma circular têm a borracha antiderrapante. Evite subir em banquinhos que não têm local apropriado para apoiar os pés, podem ser de madeira e escorregar, de plástico e desmontar. O ideal é usar uma escada baixa e de preferência com um corrimão. Se tiver que usar andador ou bengala, verifique se a borracha dos pés está em bom estado e se a altura está adequada para você. Não tenha vergonha de usar esses meios auxiliares da marcha, que podem fazer toda a diferença na prevenção de quedas.

8. Atenção com sua visão
À medida que envelhecemos, vamos perdendo um pouco da visão. Com isso, fica mais difícil evitar obstáculos e se orientar com pouca luz. Portanto, mantenha os ambientes iluminados sempre que circular por eles. Instale interruptores de luz perto das entradas dos ambientes, ao lado da sua cama e na parte superior e inferior das escadas. Use pequenas luminárias que se acendem automaticamente no escuro. Mantenha lanternas acessíveis, em caso de falta de luz. Mantenha cortinas e persianas abertas durante o dia para deixar entrar mais luz. Muitas vezes é recomendado o uso de óculos de grau para melhorar a visão. Cuidado com as lentes bifocais. Muitos pacientes levam algum tempo para se adaptar a elas, podendo apresentar quedas nesse período. Consulte um oftalmologista a cada ano para atualizar sua prescrição.

9. Cuidado com animais de estimação
Cães e gatos são ótimos companheiros, mas é fácil para eles se enroscar em seus pés. A cada ano, cerca de 21 mil adultos mais velhos acabam em salas de emergência depois de tropeçarem em seus animais de estimação ou se atrapalharem em suas coleiras. Não deixe animais de estimação dormirem junto a sua cama ou cadeira, onde possam ficar no seu caminho. É comum que, ao se levantar à noite para ir ao banheiro, pise nos animais e se machuque na tentativa de protegê-los. Mantenha seus brinquedos e tigelas fora da passagem. Limpe os respingos imediatamente, evitando que o piso fique escorregadio. Você pode até pensar em colocar um sino na coleira do seu animal de estimação para que saiba quando ele está por perto.