O segredo pode estar na alimentação

O segredo pode estar na alimentação

63

Uma dieta nutritiva e equilibrada contribui para a formação de um corpo sadio e previne o surgimento de doenças genéticas. Além disso, a alimentação saudável desempenha um papel importante no humor e na saúde mental, abrindo uma nova perspectiva para a medicina contemporânea. Em alusão ao Dia Mundial da Nutrição, celebrado no dia 31 de março, a nutróloga sócia da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), Jussara Munareto, explica como o consumo consciente dos alimentos pode garantir uma vida mais proveitosa.

Além da prevenção de doenças, uma alimentação adequada garante a manutenção do peso e qualidade de vida. Para isto, a nutróloga destaca a utilização de alimentos na forma mais natural possível, variados e na quantidade certa, como legumes, verduras, frutas, leite, carnes magras, oleaginosas, cereais e água pura.

– As proteínas, tanto de origem vegetal quanto animal, têm a função de construir ou reconstruir tecidos danificados e garantir um sistema imunológico saudável. Os carboidratos e as gorduras, também chamados de macronutrientes, servem para dar energia e agem como combustível para o nosso corpo. As vitaminas e minerais, os micronutrientes, também são essenciais para o perfeito funcionamento do nosso organismo. Já as vitaminas A, C e E atuam como antioxidantes, protegendo nossas células contra as toxinas, enquanto as vitaminas tipo B ajudam a extrair energia dos alimentos que comemos – esclarece Jussara.

Outra orientação é dar preferência aos alimentos orgânicos, pois eles são isentos de adubos químicos, agrotóxicos, drogas veterinárias, hormônios, antibióticos e de organismos geneticamente modificados. Desta forma, evitam a contaminação e fazem um reforço de substâncias antioxidantes, que protegem o organismo contra doenças.

Ainda de acordo com a médica, estudos mostram uma menor incidência de depressão, distúrbios de ansiedade e mau humor em dietas balanceadas.

Enquanto isto, o consumo de carnes processadas e fritas, e o excesso de bebida alcoólica estão diretamente relacionados ao aumento do risco da ocorrência de certos tipos de câncer no intestino grosso ou no fígado. Jussara destaca que os alimentos que contribuem para a obesidade também estão diretamente ligados ao câncer, uma vez que a obesidade aumenta o risco de desenvolver todos os tipos da doença.

– As dietas ocidentais, ricas em ômega 6 (encontrado em vários tipos de óleos e produtos industrializados com gordura vegetal) e deficientes em ômega 3 (consumido através de peixes do mar, sementes e frutas secas como nozes), podem contribuir para o desenvolvimento de obesidade, diabetes tipo 2, doença arterial coronariana e até mesmo na redução do número de espermatozoides – complementa Jussara.

A ingestão de frutas e vegetais também é capaz de reduzir o risco de acidentes vasculares cerebrais e doenças cardiovasculares. De acordo com a especialista, alguns desses benefícios são mediados por um consumo mais elevado de alimentos com potássio e ácido fólico. Estudos epidemiológicos sugerem um efeito protetor dos vegetais crucíferos no câncer de mama.

Para colocar em prática uma alimentação saudável no dia a dia, a médica indica a realização de três a cinco refeições com horários regulares, alimentos naturais, pouco processados e industrializados, com macro e micronutrientes. Comer devagar e não comer mais do que se deve são atitudes fundamentais para uma boa digestão. A ingestão de seis a oito copos de água também ajuda a eliminar as toxinas e subprodutos do organismo, além de melhorar a memória, hidratar a pele e controlar a fome.

A nutróloga afirma que evitar refrigerantes é ótimo para a saúde, visto que são extremamente ácidos, contém sal, açúcar e são calorias vazias. Os refrigerantes diet podem aumentar a vontade de comer mais carboidratos, doces e não trazem benefícios à saúde.