Óleos naturais que ajudam a saúde e impulsionam a perda de peso

0
1251

O verão está aí e, ao invés de entrar em dietas malucas que prejudicam a saúde ou fazer exercícios físicos que esgotam o organismo, a chave para o emagrecimento está na adoção de um estilo de vida saudável. Para aqueles que querem exibir um abdômen definido, os óleos funcionais são excelentes ajudantes do emagrecimento.

De acordo com a nutricionista Patrícia Lopes, especializada em suplementos alimentares, felizmente, existem no mercado inúmeros óleos funcionais capazes de impulsionar a eliminação de gordura corporal. Confira quais ela indica.

Óleo de Coco
Antioxidante natural, ele retarda o envelhecimento, previne doenças como o câncer, reduz as taxas de colesterol sanguíneo e também promove saciedade ao corpo. Atua com agilidade na absorção e no transporte da gordura para o fígado, onde esta se transforma em energia, acelerando o metabolismo. Cerca de 50% da gordura do coco é composta por ácido láurico (ácido graxo), de ação antibacteriana, antifúngica, antiviral e antiprotozoária, que atuam diretamente no fortalecimento do sistema imunológico.

Óleo de Baru
Novidade no mercado, esse óleo é extraído da semente da castanha de baru. Possui propriedades nutricionais por ser rico em ácidos graxos – ômega 3, ômega 6 e ômega 9 – proteínas, fibras, além de ser fonte de minerais, como cálcio, ferro e zinco. O baru aumenta a atividade das enzimas antioxidantes e desempenha papel importante na redução do estresse, um dos principais agentes causadores do ganho de peso. Com propriedade sacietógena tão grande quanto a chia, o produto desempenha ação cardioprotetora, uma vez que promove a redução do colesterol LDL e o aumento nos níveis do colesterol HDL, o chamado bom colesterol. O produto foi testado em estudo científico e comprovou a perda 1,5kg de gordura em dois meses.

Óleo de Linhaça
Rico em ácidos graxos que estimulam a saciedade, o óleo da semente de linhaça auxilia na redução do colesterol ruim, o LDL e protege o organismo de doenças cardiovasculares e doenças cancerígenas na mama e na próstata. Outro benefício do consumo deste óleo é a prevenção dos sintomas da menopausa.

Óleo de Amêndoas
Fonte de acido oleico, ácido linoléico, ácido palmítico, ferro, cálcio e fósforo, o óleo de amêndoas é muito utilizado no preparo de licores e produtos de confeitaria e receitas culinárias, bem como em saladas e refogados. Seu uso cosmético amacia e tonifica a pele, alivia coceira e possui propriedades rejuvenescedoras, regeneradoras, hidratantes e nutritivas.

Óleo de Abóbora
Extraído da semente de abóbora possui propriedades antioxidantes por ser abundante em vitamina E, alfa-tocoferol e gama-tocoferol. É também fonte de Vitamina A e complexo B, minerais como cálcio, ferro, potássio, fósforo e selênio. Além de ser um poderoso antioxidante, ele ajuda a prevenir o câncer de próstata, inibir a inflamação ou o crescimento do tecido prostático. Também é utilizado pela medicina popular como diurético e vermífugo.

Óleo de Cártamo
Excelente para aqueles que buscam redução da gordura corporal e o aumento da massa magra. o óleo extraído da semente de cártamo atua na gordura localizada do abdomem. Possui de 60 a 80% de ácido linoleico e de 20 a 40% de ácido oleico, duas substâncias importantes para ajudar na perda de peso. Mas, como todo óleo, seu uso deve ser moderado: tome no máximo de duas a três cápsulas por dia (ou uma colher de sopa), meia hora antes ou depois das principais refeições. Além disso, para turbinar os efeitos, o melhor é combinar com exercícios físicos.

Óleo de Gergelim
Alivia os sintomas da TPM por conter elevadas quantidades de vitamina E. Antioxidante natural protege as células contra os radicais livres e o envelhecimento precoce. Fonte de ácidos graxos insaturados, ômega 9 e 6, é indicado para quem deseja suplementar a alimentação com nutrientes fundamentais para o funcionamento do corpo.

“A ingestão de óleos naturais é o empurrão extra para adotar hábitos mais saudáveis. Para quem deseja eliminar alguns quilinhos até o final do ano, o ideal é combinar o consumo de óleos funcionais a uma dieta balanceada e exercícios físicos”, finaliza Patrícia.