Pároco de Três Arroios celebra jubileu de ouro sacerdotal

0
154

Pe. Milton Mattia, Pároco da Paróquia Santa Isabel da Hungria de Três Arroios, presidiu festivamente missa de seu jubileu de ouro sacerdotal na manhã deste sábado (15), concelebrada por três bispos e vinte e nove padres, com a participação de três diáconos, muitos ministros, seus familiares, seus paroquianos atuais e muitos de Barão de Cotegipe, onde ele trabalhou por 19 anos, de Erechim e de outros lugares. Além de Dom José e Dom Girônimo, estava Dom Osvino José Both, natural de Três Arroios, Arcebispo emérito do Ordinariado Militar do Brasil, residente na Arquidiocese de Brasília, que também celebrou neste ano seu jubileu de ouro de ordenação presbiteral. Entre os padres, dois da Arquidiocese de Passo Fundo, colegas jubilares do Pe. Milton, Artêmio Foschiera e Nelson Tonello, e Pe. Gustavo Marmentini, natural da Paróquia de Barão de Cotegipe e pertencente à Arquidiocese de Cascavel.

No início da celebração, Dom José destacou a alegria de todos poderem celebrar com o Pe. Milton em ação de graças pelos seus 50 anos de padre e apresentou os concelebrantes. Em seguida, foi lida a biografia do jubilar com pessoas representando seu nascimento, a visita de um frei franciscano à família convidando-o para ir ao Seminário, sua ordenação presbiteral e as atividades desenvolvidas por pouco tempo na atual Arquidiocese de Passo Fundo, depois na de Erexim como vigário paroquial da Catedral São José, coordenador diocesano de pastoral, pároco de Barão de Cotegipe e de Três Arroios já por 22 anos. Foram lembradas as cartas que ele dirigiu à família e que sua mãe conservou e agora estão com ele. Concluída a biografia, os personagens e crianças da comunidade entregaram 50 rosas ao jubilar, que foram colocadas junto ao altar.

Na homilia, Pe. Milton, a partir da passagem do Evangelho sobre os discípulos de Emaús, ressaltou que para ele Deus pede que vá ao encontro das pessoas como Jesus para as escutar, confortar, animar, acolher o convite de ficar com elas, como aqueles dois que convidaram a ficar com eles aquele até então desconhecido. Acolhendo-o em sua casa e vendo-o partir o pão na mesa, puderam reconhecê-lo como o Mestre de quem lamentavam a morte. O jubilar ressaltou então a importância da Eucaristia na vida de todos e o significado de estar à mesa. Nela, todos se sentem irmãos, podem conversar. Exortou a todos a cultivarem o diálogo, numa realidade de comunicação virtual, mas na qual quase não se dialoga mais. Concluiu por agradecer a todos os que fizeram e fazem parte de sua vida, enfatizando que não seria padre se não fosse esta presença, testemunhando que se sentia imensamente feliz por sua vocação e por seu ministério.

Dom José dirigiu também sua palavra ressaltando que Pe. Milton tem a graça de celebrar seus 50 anos de padre na Paróquia de Três Arroios, lugar que faz parte de sua vida, pois quando criança recebia hospedagem dos freis franciscanos na antiga casa paroquial, hoje Casa da Cultura, quando vinha de Severiano de Almeida ao dentista. Observou que no ministério sacerdotal, o padre é discípulo do Mestre Jesus, no caminho de Emaús, no qual sempre há pessoas necessitadas de compaixão e caridade para perceber a presença de Deus na realidade da vida. Este ministério se alimenta Palavra de Deus, da Eucaristia e da solidariedade. Mas ele também alimenta a vida de fé do povo de Deus com estes mesmos recursos, revelando o rosto da misericórdia e do amor do Pai. Externou seus cumprimentos ao jubilar e lhe deu afetuoso abraço.

Após sua breve mensagem, Dom José convidou Pe. Milton a renovar seus compromissos de ordenação presbiteral.

No final da celebração, em nome de toda a Paróquia, o jovem Luiz Augusto, filho de Tarcísio e Rosilei Debastiani, casal coordenador do Conselho Econômico, dirigiu sua saudação ao Pe. Milton. Recordou a chegada dele à Paróquia no dia 05 de março de 1995, na qual continua, sempre prestativo, zeloso em seus compromissos com a comunidade, atendendo a todos com carinho, testemunhando fé inabalável e anunciando a Palavra com dom privilegiado. Grande exemplo para jovens assumirem o sacerdócio, para padres ao iniciar o ministério e para o povo na vida cristã.

Em nome dos padres da Diocese, Pe. Cleocir Bonetti, Vigário Geral da Diocese e representante na Comissão Regional de Presbíteros, da qual é também o Coordenador, assegurou ao jubilar que ele é um padre muito querido para todos e uma presença maravilhosa na família presbiteral. Convidou alguns padres e um seminarista a referirem algum aspecto marcante do Pe. Milton. Falaram de sua tranquilidade, simplicidade e espírito de acolhida a todos, companheirismo e otimismo, exemplo, alegria e valorização da pessoa em seu íntimo.

Após a bênção, o jubilar anunciou a presença da banda local que conduziria a todos ao salão de festas para o almoço, preparado e servido com carinho por um grande número de voluntários da Paróquia. Quando todos estavam servidos, houve algumas homenagens – de um grupo de Barão de Cotegipe, da Escola N. Sra. de Lourdes de Três Arroios, do grupo italiano La Veritá, do CTG Querência do Vale. Houve também sessão comemorativa da Câmara de Vereadores que outorgou título de Cidadão Emérito de Três Arroios ao Pe. Milton, entregue a ele pelo Prefeito Municipal. A festa continuou com a banda executando muitas músicas para diversão de todos.

Pe. Milton Lay Mattia
Nasceu no dia 26 de abril de 1941, em Severiano de Almeida. Seus pais, in memoriam, Orlando e Angelina Biezus Mattia. Pe. Milton, é o segundo de três irmãos, — e Olivar, já falecido. Estudou nos seminários de Ivorá, Tapera, Erechim e Viamão. Foi ordenado padre no dia 15/7/1967, em Severiano de Almeida, por Dom Cláudio Colling, Bispo de Passo Fundo, Diocese a que a região pertencia. De 1968 a 1970, foi vigário paroquial de Colorado, da Paróquia São Cristóvão e da Catedral de Passo Fundo; de 1970 a 1972, vigário paroquial da Catedral de Erexim; em 1972 e 1973, coordenador diocesano de pastoral de Erexim; de 1974 a 1993, pároco de Barão de Cotegipe; em 1994, fez um ano de atualização; de 1995 até agora, pároco de Três Arroios. Nesse período, foi também administrador paroquial de Sede Dourado por duas vezes. Integrou a equipe que organizou a Escola Diocesana de Servidores, a equipe diocesana de coordenação de pastoral e o Conselho Presbiteral. Foi sócio fundador da Comissão Nacional da Pastoral da Terra e membro da Comissão Regional de Atingidos por Barragens.