Paróquia São Pedro de Dourado celebra 50 anos de existência

0
289

O Bispo da Diocese de Erexim, Dom José Gislon, presidiu missa festiva, neste domingo (25), na Igreja Matriz São Pedro Dourado, Aratiba, na comemoração do jubileu de ouro daquela Paróquia, criada em primeiro de janeiro de 1967. A missa, precedida de procissão, foi concelebrada pelo Pároco, Pe. Jorge Dallagnol, e por outros sete padres (Antonio Scheffel, Geraldo Moro, Milton Mattia, Luiz Warken, Altair Steffen, Dirceu Balestrin e Anderson Faenello), e teve a participação de três diáconos (Ludovino Polli, Jandir Bianchi e Pascoal Pozza) e dos ministros das diversas comunidades. Presentes também o prefeito e o vice de Aratiba, Município ao qual pertence o Distrito de Dourado. Na missa, o Bispo conferiu o sacramento da crisma a nove catequizandos. Na homilia, ele ressaltou a importância da família na formação da vida cristã, enalteceu o exemplo de fé dos pioneiros da Paróquia, exortou a todos a participar sempre ativamente da comunidade, cultivando a fé, a comunhão fraterna, amando a Igreja, a exemplo do padroeiro, São Pedro, que deu a vida por ela.

Histórico
Os primeiros moradores da localidade chegaram em 1916. Portadores de muita fé e de princípios morais sólidos, foram logo organizando a comunidade, reunindo-se aos domingos para a oração do terço e providenciando a construção de igreja para as orações.

Em setembro de 1917, a localidade recebeu a visita do Pe. Jesuíta Teodoro Amstadt, que dava especial assistência aos agricultores em muitos lugares do Estado, sendo o pioneiro no sistema cooperativista. Em 1918, Pe. Lassberg permaneceu seis meses junto aos moradores, organizando a comunidade religiosa. Naquele ano, foi construída a primeira igreja local. A comunidade passou a ser atendida pelos freis franciscanos que tinham comunidade em Gaurama e depois em Três Arroios até 1957, quando as duas paróquias foram assumidas pelos padres diocesanos. Como padroeiro, foi escolhido São Pedro, por sua fidelidade a Cristo e por ter sido o primeiro Papa. Também porque o primeiro morador se chamava Pedro, Peter Steffen.

Os sinos daquela capela, que são os mesmos da atual igreja, vieram de Hamburgo, na Alemanha, em 1925. Depois de chegarem de navio a Porto Alegre, foram trazidos a Gaurama pelo trem e de lá a Dourado por carroças puxadas por mulas dos irmãos Matthias e Nicolau Holz, que também pagaram o frete da Alemanha até Gaurama. Moradores recordam que os sinos motivaram admiração e até ambição de outras comunidades que pretendiam adquiri-los pela qualidade original de seu som. Mas a comunidade de Sede Dourado não abriu mão deles.

Em 1945 ou 1946, foi iniciado movimento pela construção de uma nova igreja e em novo local. A construção foi concluída em 1950.

Em 1966, a comunidade deu os primeiros passos para se tornar paróquia. Bernardo Alba e Libino Streher, pai do Pe. Olírio, de Jipe, foram a Passo Fundo falar com o Bispo da Diocese, Dom Cláudio Colling, encaminhando as primeiras tratativas para tal objetivo. Em primeiro de janeiro de 1967, Dom Cláudio criou a nova Paróquia, que foi instalada no dia 22 daquele mesmo mês, com seu primeiro pároco, Pe. Simplício Hoffmann.

Desde então, outros 11 padres exercera, a função de pároco, de vigário paroquial ou administrador da Paróquia: Antonio Rambo, José Kusminski, Eolino Bortolanza, Ângelo Follador, já falecidos, Antonio Scheffel, Milton Mattia, Maximino Tiburski, Lucimar Pértile, Rudinei Lolatto e, atualmente, Jorge Elias Dallagnol.

A Paróquia tem dez comunidades, pertencentes a quatro municípios: Aratiba, Mariano Moro, Severiano de Almeida e Três Arroios. As comunidades são: Santo Antão (Rio Leão), Nossa Senhora do Rosário (Vaca Morta), Santa Lúcia (Linha Santa Lúcia), São Valentin (Vista Alegre), São Roque (Lajeado Paca), São José (Monte Belo), Nossa Senhora das Graças (Rio Anta), Nossa Senhora da Saúde (Encruzilhada da Várzea), São Pedro de Alcântara (Tamanduá) e Santa Lúcia (Três Barras).