Romeiros de N. Sra. da Santa Cruz convidados a colocar a vida nos braço da Cruz

0
559

Fiéis vindos de muitas localidades do Sul do País participaram da 29ª Romaria de N. Sra. da Santa Cruz, no Lajeado Paca, na estrada de Erechim a Aratiba, nesta quarta-feira, 14, festa da Exaltação da Santa Cruz e véspera da memória litúrgica de N. Sra. das Dores, que teve como tema “Maria, primeira anunciadora” e como lema: Cruz caminho para o Reino.

aa1

No amanhecer do dia, de vento frio e temperatura baixa, os voluntários da Romaria fizeram sua oração junto à cruz. A partir das 08h30, em torno de 15 padres estiveram à disposição dos fiéis para a confissão e três diáconos abençoaram devotos que os procuravam em extensas filas. Equipes de oração motivaram a recitação do terço e da via-sacra. Às 11h30, foram realizadas a entronização da Bíblia, a bênção dos alimentos e a partilha de pães. A partir das 12h30, houve recordação da devoção a N. Sra. da Santa Cruz, iniciada por Dorotéia Menegon Farina. Padres continuaram atendendo confissões.

aa3

Às 14h, iniciou o momento culminante da Romaria, a procissão e a Missa, presidida pelo Pároco da Catedral São José, Pe. Alvise Follador e concelebrada pelo Pe. Maicon Malacarne, vigário paroquial, e Pe. Jorge Dallagnol, pároco de Sede Dourado. Dois diáconos, Pascoal Pozza e Jacir Lichinski, serviram o altar e muitos ministros serviram a comunhão eucarística.

Pe. Alvise iniciou a homilia proclamando um hino da liturgia da Igreja à Santa Cruz que exalta diversos aspectos deste símbolo da fé cristã. Situando a Romaria no Jubileu da Misericórdia, no mês da Bíblia, na proximidade das romarias da Salette e de Fátima, bem como das eleições municipais, convidou os romeiros a colocar sua vida, suas intenções, sua família, a comunidade, a Igreja nos braços da cruz. Prosseguiu ressaltando que a festa da Exaltação da Santa Cruz coloca a todos diante do mistério da dor humana e do seu valor redentor. Destacou o significado da cruz e a participação de Maria no sofrimento do seu Filho Jesus. Desejou que, “se de alguma forma ela aqui se manifestou na fé de uma mulher simples, Dorotéia, e continua se manifestando na fé de tanta gente, queremos que esta obra de Deus nos permita dizer como Maria: ‘fazei tudo o que Ele vos disser’, nos permita fazer como Jesus: ‘Façam isto em memória de mim’”.