RS deverá ter mais de 1 mil novos policiais militares a partir da próxima semana

0
46

A Brigada Militar passará a contar com mais de mil novos policiais militares, a partir da próxima semana, para realizar o policiamento ostensivo em todo o Rio Grande do Sul. Nesta quarta-feira (19), a primeira turma da Escola de Formação e Especialização de Soldados (EsFES), com 157 integrantes, formou-se em Tramandaí, no Litoral Norte gaúcho.

De acordo com a Brigada Militar, a previsão é a de que outras duas turmas – em Porto Alegre e em Montenegro – estejam graduadas até sexta-feira (21). Conforme informou o comandante-geral da corporação, Andreis Silvio Dal’Lago, entre os policiais formados, apenas 30 devem permanecer no Litoral.

“Esse número ainda está para ser confirmado com o secretário, mas eu diria que 20% ou mais da turma que está aí, que fecha em torno de 30 policiais, permanecerá na região do Litoral. Sem dúvida nenhuma nesse momento agora. Lembro que já estamos com uma formação em torno de 500, que vão concluir o curso em fevereiro. Então, é mais uma etapa de distribuição de efetivo”, explicou Dal’Lago.

Apesar da iniciativa da Brigada, a população apela por mais segurança na região. “A criminalidade está aumentando e marginal está vindo tudo para Tramandaí e para o nosso litoral”, lamentou o taxista Valdir Rocha dos Santos.

Somente este ano, foram registrados em Tramandaí 34 homicídios. O número supera o do ano passado, de 27. Segundo a polícia, a maioria dos casos tem relação com tráfico de drogas.

Para o delegado da Polícia Civil Paulo da Silva Perez, a cidade também é afetada pela falta de efetivo. “Já cheguei a ter 12 policiais na investigação. Hoje não conto com metade disso. Sofremos uma perda bem grande já decorrente de vários anos. A gente entende as dificuldades do estado. O governo atual pegou o estado em situação calaminosa, mas a criminalidade não quer saber. Ela se aproveita disso. Então, esses policiais prometidos são de extrema importância, tanto na Brigada quanto na Polícia Civil”, afima Perez.

Segundo a Brigada Militar, os novos policiais vão se concentrar, em sua maioria, em Porto Alegre e na Região Metropolitana, onde há índices mais expressivos de criminalidade.