Saiba como combater os problemas e manter as unhas fortes e bonitas

0
1896

As unhas, principalmente das mãos, são um cartão de visitas feminino. Mas elas não possuem unicamente função estética e são de extrema importância no desempenho em atividades do cotidiano. Já as dos pés, além de possuírem função protetora, contribuem para uma correta biodinâmica do pé.

– Muitas pessoas reclamam de algum problema. As queixas mais comuns são unhas quebradiças, secas, descascando ou com micose. Unhas em boas condições são atraentes e refletem a saúde do indivíduo, além de hábitos pessoais – comenta Daniela Schmidt Pimentel, médica do Serviço de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro e do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Unhas frágeis
A unha quebrada não é só esteticamente desagradável, mas os seus fragmentos enroscam facilmente em tecidos. Com frequência, as pessoas se preocupam pelo fato de acreditar que a fragilidade ungueal (a parte abaixo das unhas das mãos e dos pés) seja expressão de carências orgânicas ou alimentares.

– As unhas também podem revelar o estado de saúde de uma pessoa, causar muito desconforto quando encravam ou crescem com alterações em sua formação, além de sinalizar carências de vitaminas, sais minerais e outros nutrientes, quando apresentam manchas esbranquiçadas ou enfraquecimento.

Causas externas e orgânicas
Entre as causas mais comuns das unhas frágeis estão a exposição a detergentes, esmaltes e removedores, principalmente aqueles à base de acetona, que causam ressecamento da lâmina ungueal, lavagens frequentes, sobretudo com água quente, que causa desidratação. Traumatismos repetidos, como em quem digita por longos períodos, também aumentam a fragilidade das unhas e facilita a descamação.

As unhas também podem sofrer alterações geradas por motivos internos, como uso de alguns medicamentos para doenças da tireoide e menopausa, anemia, má nutrição, anorexia nervosa, carências vitamínicas – B6, A, C, E, biotina – como após doenças crônicas ou dietas de emagrecimento. Outro fator que naturalmente pode levar ao enfraquecimento é o próprio processo de envelhecimento que produz áreas mais frágeis na matriz das unhas, causando estrias longitudinais que dão aspecto frágil e rugoso às unhas.

Encravamento
Isso ocorre quando uma das pontas da unha, ao crescer, literalmente “penetra” na pele ao seu redor. O processo decorre de um aumento na pressão sobre a unha ou suas pregas, causado, principalmente, pelo ato de cortá-las de forma errada ou usar sapatos apertados ou pontiagudos. A unha encravada pode ser classificada em grau I (só há queixa de dor); grau II (além da dor, há uma secreção sanguínea ou seropurulenta) e grau III (dor, secreção e hipertrofia da área acometida).

Diagnóstico X tratamento
Para identificar e tratar qualquer dano, duas atitudes são essenciais: buscar um diagnóstico preciso com um dermatologista e ter consciência de que é vital mudar os hábitos que colaboram para a fragilidade das unhas.

Dicas de cuidados:
– Evite traumas, ambiente úmidos e substâncias químicas.
– O corte das unhas deve ser reto, evitando arredondar os cantos para evitar a formação de unhas encravadas.
– Se a unha encravar, procure orientação médica, evitando ficar cutucando os cantos, o que pode, além de não resolver, piorar o quadro.
– Use luva de algodão sob as luvas de borracha quando for manipular produtos químicos.
– Aplique hidratante tópicos, à base de ureia, alfa-hidroxiacidos, ácido lático e colágeno, sobre as unhas várias vezes ao dia.
– Consuma alimentos que contenham oligoelementos (ferro, zinco e selênio), vitaminas (B6, A, C, E, biotina) e aminoácidos (cistina, arginina, ácido glutâmico), necessários para o correto crescimento da unha.