Sartori reforça incentivo a empreendedores ao inaugurar planta da Aurora Alimentos

Sartori reforça incentivo a empreendedores ao inaugurar planta da Aurora Alimentos

123

Ao celebrar a instalação definitiva da Aurora Alimentos em Erechim, nesta sexta-feira (24), o governador José Ivo Sartori reforçou que o incentivo aos empreendedores é uma prioridade no Rio Grande do Sul. A empresa de Chapecó (SC), terceiro grupo agroindustrial de carnes do país, assumiu definitivamente no início do mês duas unidades frigoríficas (de aves e suínos) da Cooperativa Tritícola Erechim (Cotrel), em investimento de R$ 108 milhões.

A atração de novos empreendimentos em setores com potencial estratégico para o Rio Grande do Sul é o grande desafio do programa InvestRS, lançado pelo governo do Estado no dia 22. O projeto promove, pela primeira vez, o alinhamento entre os setores público e privado, com a troca e a unificação das informações. Também articula ações conjuntas para inserir o Estado no mapa dos investidores nacionais e internacionais.

Na presença de produtores, colaboradores, lideranças e representantes da comunidade, Sartori destacou que a vinda da Aurora Alimentos só reforça o potencial desenvolvimentista do estado. “A atitude firme da Aurora de investir em território gaúcho é sinônimo daquilo que buscamos ampliar enquanto poder público”, afirmou. “Tenho dito e reafirmo: só não investe no Rio Grande do Sul quem não quiser. Somos parceiros daqueles que querem produzir”, acrescentou.

Para o presidente da cooperativa catarinense, Mário Lanznaster, a decisão de investir em Erechim se deu com o compromisso de evitar o desemprego (são 1,6 mil empregos), manter integrados os produtores cooperados e proteger o volume de faturamento. “Ouvimos o apelo da comunidade pela manutenção dos empregos e apostamos nesse povo que gosta de trabalhar e produzir”, ressaltou. Segundo ele, o governo e as lideranças políticas regionais foram essenciais para desentravar problemas durante a instalação da empresa.

 

AURORA SARTORI

O valor investido pela Aurora será pago em cinco anos, com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A empresa ainda terá que investir mais R$ 40 milhões em um sistema de captação de água e tratamento de efluentes, firmado com o Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Generalização perigosa

Questionado sobre a operação Carne Fraca da Polícia Federal, o governador condenou a generalização e defendeu a rigorosa punição dos envolvidos. “Quem cometeu fraudes tem que ser imediatamente punido. Agora, nem todos podem ser penalizados por isso, porque a mais penalizada com a generalização é a sociedade como um todo”, avaliou. A investigação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema criminoso para liberação de licenças, fiscalização irregular de frigoríficos e adulteração de carne vencida.

Unidades frigoríficas

As duas plantas adquiridas pela Aurora são objeto de parcerias com a Cotrel desde 2005. Em 2007, a operação passou a ser de arrendamento. As marcas Nobre, Nobreza, Da Fazenda e Capone, que eram de domínio da Cotrel, também foram compradas.

Atualmente, a unidade de abate e processamento de frangos tem capacidade para 26,7 milhões de cabeças ao ano, e a de suínos, 418 mil. As plantas respondem por 7,8% da receita operacional bruta do conglomerado Aurora, e juntas, geram 2.496 empregos diretos e recebem a produção de mais de 1,3 mil produtores rurais do município e região.

Texto: Julia Machado, de Erechim
Edição: Gonçalo Valduga/Secom