Programação da Semana Santa na Matriz São Tiago de Aratiba

0
1184

Semana maior da fé cristã – vitória de Cristo sobre o pecado e a morte; esperança na Ressurreição e na vida eterna. Semana para viver intensamente seis momentos de Cristo: 1) traição: Judas o “vendeu” às autoridades; 2) amizade: recolhido com os apóstolos no Cenáculo, celebra a Páscoa e nos deixa a Eucaristia; 3) angústia: no Horto das Oliveiras, sofre a solidão, a prisão, o abandono dos seus amigos; 4) julgamento: pelo sumo sacerdote e por Pilatos; negação de Pedro e zombaria dos soldados. 5) crucifixão e morte. 6) gloriosa ressurreição.

Domingo de Ramos e da Paixão: Dia de renovar o compromisso de percorrer o caminho de Cristo, iniciado no Batismo. A vida cristã é seguimento a Ele, caminho para o Pai. No final da vida, “subiu” a Jerusalém, onde viveu a Paixão, coroada pela Ressurreição. É necessário sempre “subir”, para as “coisas do alto”, a verdade, a justiça, a solidariedade fraterna, o serviço generoso, a comunhão com Deus, não “descer” para uma vida vulgar. “Subir”, caminhando na comunidade dos seus discípulos missionários, em estado permanente de missão. Sem traí-lo (Judas), sem negá-lo (S. Pedro), sem pedir sua morte (multidão), sem condená-lo (autoridades civis e religiosas).

Quinta-feira Santa: Dia do gesto de serviço humilde de Jesus no lava-pés, com o mandamento novo do amor, dos seus discursos de despedida, testamento e síntese do núcleo essencial da sua mensagem; dia da Eucaristia, presente de despedida de Jesus para perpetuar sua presença entre nós; dia do novo sacerdócio de Cristo e a sua continuação na consagração dos Apóstolos, com a participação dos discípulos no seu sacerdócio.

Sexta-feira Santa: Dia de retomar a profissão de fé do chefe dos soldados que crucificaram Jesus: “Na verdade, este homem era o Filho de Deus”. Sua morte transformou o mundo. Não matou outros, mas sacrificou sua própria vida, fiel ao que viveu e ensinou, perdoou os que o mataram, no testemunho maior do amor de Deus. À luz das suas chagas, “podemos ver, com olhos de esperança, todos os males que afligem a humanidade”. “Aquelas chagas tornam-se o sinal da nossa redenção, do perdão e da reconciliação com o Pai”. Tornam-se motivo de “comovedora profissão de fé: ‘meu Senhor e meu Deus’”, diz S. Tomé ao ver os sinais dos pregos em Cristo ressuscitado.

Sábado Santo: Dia de silêncio e meditação, com Maria, junto ao túmulo de Jesus, contemplando-o, conjuntamente, morto, sepultado e ressuscitado, na certeza de que é como o grão de trigo que morre para desabrochar vigoroso e dar muitos frutos. Na Vigília Pascal, celebração mais importante da Igreja, viver, com toda a alegria possível, a Ressurreição do Senhor, fundamento da fé e da esperança.

Domingo de Páscoa: Dia de se ouvir a saudação reconfortadora de Cristo aos discípulos: A paz esteja convosco; de renovar a certeza de se poder vencer todo tipo de crise pessoal, familiar, social e ambiental; de revigorar a esperança na ressurreição final. Na força do Cristo Ressuscitado, o seu discípulo missionário, renascido nas águas do Batismo, é novamente enviado a testemunhar a e a “levar a todos o fruto da Páscoa, que consiste numa vida nova, liberta do pecado e restituída à sua beleza original, à sua bondade e verdade” (Bento XVI).

PROGRAMAÇÃO PARA A SEMANA SANTA
Matriz São Tiago – Aratiba

Quinta-feira santa
– às 20h, missa da Ceia do Senhor (a encenação feita pelo Grupo de Jovens)

Sexta-feira santa
– 8h = atendimento às confissões
– 9h = celebração de bênção da macela e ervas medicinais.
– 9h30 = Oração com os catequizandos da matriz
– 15h = celebração da Paixão do Senhor
– 19h30 = procissão da Paixão do Senhor – sai dos bairros em direção à igreja matriz
– 20h30 = encenação da Paixão do Senhor na Praça Central

Sábado de aleluia
– às 20h, missa da Vigília Pascal (a encenação da ressurreição feita catequizandos)

Domingo de Páscoa
– às 9h, missa com celebração do sacramento do batismo