SUTRAF-AU define calendário de lutas contra a Reforma da Previdência

SUTRAF-AU define calendário de lutas contra a Reforma da Previdência

159

Nesta quarta–feira (22), o SUTRAF-AU, Sindicato Unificado dos Trabalhadores do Alto Uruguai, realizou um encontro para debater a Reforma da Previdência. O evento ocorreu na Cresol Base Alto Uruguai.

De acordo com o Coordenador geral do SUTRAF-AU, Douglas Cenci, a continuidade da agricultura Familiar está ameaçada, da forma como a constituição federal está sendo alterada, sem debate com a sociedade e com propostas que retiram direitos dos agricultores. Essa proposta que propõe o aumento da idade da aposentadoria, também acaba com a função social da pensão por morte. Esse novo modelo de contribuição fará com que muitos agricultores tenham que optar pelo pagamento de apenas uma parte dos membros da família em função do custo.

O êxodo rural e a falta de sucessores nas propriedades vêm crescendo a cada ano e com a reforma da previdência muitos tendem a se desanimar e buscar alternativas de vida fora do campo.

Segundo o sindicato, existem outras formas que o governo poderia utilizar para melhorar a arrecadação da previdência, entre elas a cobrança dos sonegadores, o fim da isenção fiscal e a redução no pagamento de juros que consome cerca de 50% do orçamento da união.

No encontro, representantes do SUTRAF de vários municípios da região estiveram presentes, debatendo as ações que o sindicato deve realizar para impedir que as mudanças aconteçam. Entre as atividades que o Sutraf deve atuar esta a audiência pública regional que deve acontecer em Erechim no dia 3 de março para debater o tema. No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o SUTRAF-AU estará realizando mobilizações nos municípios do Alto Uruguai. “Nós entendemos que as mulheres são as principais prejudicadas diante disso precisamos convencer os parlamentares a votar contra esta reforma”, destacou.

Além destas atividades, o sindicato deve participar das lutas unitárias que devem acontecer durante a tramitação da proposta no Congresso e junto com a FETRAF-RS esta propondo uma marcha da Agricultura Familiar em defesa da previdência. A mesma deve sair do interior do Estado em direção a Porto Alegre, onde deve se unir a outros movimentos no fim do mês de março.