O HPV é um vírus altamente contagioso e pode ser transmitido por meio de relações sexuais, ou por um simples contato com uma parte do corpo infectada, como mão ou boca. Ele é um dos principais causadores do câncer do colo do útero, que mata por ano cerca de cinco mil mulheres no Brasil, segundo o INCA, Instituto Nacional do Câncer. Atualmente, existem vários métodos de como se prevenir, como por exemplo, o uso do preservativo durante as relações sexuais e o acompanhamento médico com frequência. Porém, a forma mais eficaz e segura de prevenção ocorre ainda na infância, mais especificamente na faixa etária entre nove e 13 anos, com a vacina que previne a doença. A diretora adjunta do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, destaca a importância dessas medidas. “Hoje, o Brasil, o Ministério da Saúde faz a vacinação do HPV para evitar o câncer do colo do útero, e isso vai ter um impacto na queda da frequência de câncer de pênis nos homens. Como o HPV causa alterações no colo do útero, uma outra recomendação é que as mulheres façam o seu preventivo de forma sistemática, porque se fizer o preventivo, você vai evitar também o câncer e você vai detectar essas alterações causadas pelo HPV.”

Desde o mês de março, o Ministério da Saúde ampliou o público-alvo da vacinação contra o vírus HPV nas unidades de saúde. Agora, o Sistema Único de Saúde oferece doses da vacina contra o vírus no Calendário Nacional de Vacinação para meninas de nove a 13 anos. Com a ampliação da faixa etária, as meninas mais novas também podem receber, regularmente, a primeira dose e seguir o esquema vacinal composto por mais duas doses – a segunda a ser tomada seis meses depois da primeira, e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira. Para saber mais sobre a vacinação, acesse o site: www.saude.gov.br

Anúncio Patrocinado