Na manhã desta terça-feira (16), o Ministério Público deflagrou no Noroeste e no Vale do Sinos a primeira operação Queijo Compensado, uma continuidade das outras sobre adulteração do leite. No início da tarde, a Promotoria Criminal divulgou escutas telefônicas que comprovam comércio do produto com farinha, cheiro de gasolina, esfarelado, mole e mofado.

Três responsáveis pela Laticínios Progresso, com sede em Três de Maio e depósito em Ivoti, foram presos. Um secretário da Agricultura de Três de Maio e um fiscal da prefeitura de Estância Velha são apontados na investigação por facilitar e ter conhecimento da prática criminosa.

Anúncio Patrocinado