O grande volume de chuva que caiu sobre o Rio Grande do Sul ao longo da semana já atinge 7.245 pessoas em 55 municípios, conforme boletim divulgado no final da tarde desta sexta-feira (17) pela Defesa Civil. Entre os moradores que tiveram de deixar suas residências, 820 ficaram desabrigados, e foram encaminhados a abrigos fornecidos pelas prefeituras.

As prefeituras de Esteio e Rolante já decretaram situação de emergência e aguardam a homologação pela Defesa Civil. Os municípios de Riozinho, Esperança do Sul, Barra do Guarita, São Jerônimo, Cachoeirinha, Iraí, São Sebastião do Caí, Alvorada, Pinheirinho do Vale e Cerro Grande também informaram a situação ao órgão e preparam a documentação para realizar o decreto.

Centenas de famílias já tiveram de abandonar as casas na Fronteira Oeste, onde o Rio Uruguai segue subindo. São Borja é a cidade mais castigada. Na região, algumas famílias começaram a ser retiradas das áreas de risco de forma preventiva. A Defesa Civil estima que o rio siga subindo por mais 24 horas.

A Defesa Civil estima que mais de 120 famílias tenham sido retiradas de suas casas. Cem estão em residências de familiares, e outras 25 em abrigos do município. Em Itaqui, na mesma região, o clima também é de alerta. Como forma de prevenção, casas que podem ser transportadas estão sendo levadas para pontos mais altos.

Em Uruguaiana não é diferente. Por mais que a água ainda não tenha atingido nenhuma casa, as residências volantes são encaminhadas para outras regiões do município. Enquanto o nível do rio sobe lentamente, a Defesa Civil reforça a importância dos moradores das regiões atingidas irem para outros locais.

No Vale do Sinos, o nível do rio também continua a subir. Em Novo Hamburgo, 450 famílias tiveram que sair de casa. Os bairros a serem afetados são Santo Afonso, Vila Palmeira e Vila Integração. Em Esteio, a água baixou, mas choveu a noite toda, em níveis diferentes, e as autoridades estão em estado de alerta novamente para possíveis alagamentos.

Anúncio Patrocinado