Faltando poucos dias para o início da colheita do trigo no Rio Grande do Sul, a expectativa não é muito animadora para os produtores na Região Noroeste do estado. De acordo com levantamento da Emater-RS, as perdas na lavoura devem ser de até 10% da produção total prevista. O clima foi o grande culpado pelas perdas.

No início do desenvolvimento da planta, choveu demais e fez pouco frio. Quando o grão estava se formando veio a geada, fora de época para a planta que havia acelerado o desenvolvimento por causa do calor. Algumas lavouras também foram afetadas pelo granizo dos últimos dias.

O que mais preocupa no momento é a perspectiva de uma primavera chuvosa, coincidindo com as fases de formação de grão e de maturação, o que poderá ter um impacto maior do que o causado pelas recentes geadas. A evolução das lavouras que se encontram predominantemente nessas fases é que mostrará a efetiva diminuição da produtividade/produção esperadas inicialmente, salientam os técnicos da Emater.

Em relação ao milho, o período foi de pouco avanço no plantio, alcançando na semana passada 44% do total previsto para a safra atual, contra os 36% registrados no período anterior. Aos poucos, técnicos e produtores começam a avaliar com mais precisão os danos ocasionados pelas geadas. Levantamentos preliminares apontam perdas na ordem de 5% a 10% da área já semeada.

As lavouras de milho já implantadas que não sofreram ou foram pouco atingidas pelos problemas causados pelas geadas têm apresentado bom crescimento. Mesmo com casos pontuais de perda total, a Emater considera que as geadas tiveram impacto reduzido sobre a cultura, destacando que mais da metade (56%) da área prevista ainda deverá ser plantada.

Anúncio Patrocinado