O forte temporal que passou pela região entre a tarde e o início da noite desta segunda-feira (21) provocou estragos em Erechim. Neste momento, informações oficiais ainda não foram divulgadas e equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil de Erechim ainda trabalham em várias frentes.

Conforme dados levantados com fontes, a Capital da Amizade registrou alguns alagamentos e, por volta das 20h20min, os bombeiros se deslocaram até a Rua Dias Gomes, no bairro Progresso, onde um raio atingiu uma residência e provocou princípio de incêndio. Chamados para o Corpo de Bombeiros apontam diversos alagamentos no mesmo bairro.

No bairro Paiol Grande, dois acessos ficaram completamente alagados, formando um verdadeiro rio na via pública, conforme moradores. A rótula do bairro São Cristóvão também foi tomada pela água e, na Rua Aquilino Faccenda, esquina com a Avenida Farrapos, no centro da cidade, também houve registro de alagamento em residência.

Ainda no centro, uma árvore caiu na Avenida Amintas Maciel e a Praça da Bandeira foi fechada para o público, provavelmente devido ao risco de choques elétricos devido a decoração natalina.

Na Rua José do Patrocínio, um morador retirou uma mulher e uma criança de um carro que acabou preso na via inundada. Várias casas no local ficaram alagadas.

A paralela da BR 153, que dá acesso aos bairros Vitória I e II, também alagou e uma mulher com quatro crianças ficou presa na via. Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros.

A Defesa Civil do município também efetuou o resgate de uma mulher e uma criança que ficaram presas em um porão alagado, na Rua Basílio Anzanelo, bairro Cerâmica.

De acordo com a Defesa Civil, também foram registrados alagamentos no bairro Cerâmica, Loteamento Cotrel, bairro Florestinha, bairro Bela Vista, entre outros.

De acordo com informações extraoficiais, a ERS 480, na Serra do Goio Ên, está praticamente intransitável devido ao desmoronamento de pedras e terra na pista.

No Bairro Cotrel, as ruas viraram rios, a exemplo do que aconteceu na última enxurrada em Erechim.

No Bairro Parque Redenção, algumas casas foram inundadas, mas os próprios moradores conseguiram resolver o problema. As calhas não deram vazão. Na Associação de Moradores do bairro, que fica numa área abaixo do nível, a água acabou invadindo o salão, mas com pouca intensidade.

No bairro José Bonifácio, na Rua Catharina Basso, que há dois anos não sofria mais com as enxurradas, as duas bocas de lobo colocadas pela prefeitura não suportou a tormenta. A água cobriu o pneu dos carros, e casas foram alagadas. Moradores fizeram mutirão para tentar salvar os móveis. Inclusive um cachorro está desaparecido.

Também teve queda de energia em alguns pontos da cidade.

Anúncio Patrocinado