O câncer do colo do útero mata mais de 5 mil mulheres por ano no país, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o Inca. O principal causador da doença é o vírus HPV, o Papiloma Vírus Humano. O especialista em Oncologia do INCA, Gustavo Iglesias, explica que tratamento da doença é difícil e, em estágio avançado, as chances de cura são pequenas.

“Quando o câncer do colo do útero, ele se encontra restrito ao colo do útero, um tumor de um tamanho não muito grande, a preferência de tratamento em geral é pelo tratamento cirúrgico, que consiste na retirada do útero, mas é uma cirurgia diferente da retirada do útero que se faz com a doença benigna por mioma, ou para algo semelhante. A maioria das pacientes ainda chega para gente quando tem um quadro de câncer em estágios avançados, em que a cirurgia não é uma possibilidade, nestes casos os pacientes fazem tratamento com radioterapia e com quimioterapia. É um tratamento que tem uma chance de cura que não é tão boa quanto o que a gente observa nos estágios iniciais e que também tem um perfil muito grande de efeitos colaterais.”

Para evitar que as nossas futuras mulheres sejam vítimas do câncer do colo do útero, o Ministério da Saúde está vacinando as meninas de 09 a 11 anos contra o HPV. Mas, as meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que já tomaram a primeira dose da vacina, devem voltar aos postos de saúde para receber a segunda e, quem não tomou nenhuma das doses, também deve começar a imunização. Então fica a dica! Você mãe, pai ou responsável não se esqueça de levar as meninas ao posto de saúde de sua cidade para tomarem a vacina contra o HPV. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa e no portal do Ministério da Saúde na Internet (www.saude.gov.br/hpv).

Anúncio Patrocinado