Nesta quarta feira, dia 14, na sede da ABRSE – Associação Beneficente dos Receptores de Sangue de Erechim, reuniram–se com a direção da Associação dos Municípios do Alto Uruguai (AMAU), representante da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde e do Banco de Sangue.

Participaram da reunião o presidente da Amau, Lírio Antônio Zarichta (Três Arroios), Luis Ângelo Poletto (Aratiba), Geverson Zimmermann (Estação), Ivan Devens, Coordenador Ajunto da Saúde, da 11ª CRS, Jackson Luis Arpini, administrador judicial provisório e Sr. Alexandre Lyrio, assessor jurídico, ambos do Banco de Sangue.
Em pauta a situação de interdição da entidade e os encaminhamentos futuros necessários para a reabertura o mais rápido possível da unidade hemoterápica de Erechim e região. Arpini explanou sobre os últimos fatos, ressaltando que a documentação foi encaminhada para Porto Alegre, em especial, à Divisão de Vigilância Sanitária que, após apreciação criteriosa, solicitou ajustes complementares.

Segundo Arpini a equipe multiprofissional da unidade está, incansavelmente, trabalhando na equação dos apontamentos no intuito de agilizar o processo que possibilite o retorno das atividades. Manifestou que esteve no CEVS – Centro Estadual de Vigilância em Saúde para uma reunião com os técnicos da vigilância sanitária, oportunidade em que os profissionais solicitaram adequações nos documentos enviados. Reiterou, com veemência, que espera um ente público fiscalizador, mas também um estado apoiador das causas sociais que tem correlação direta com a sociedade, como é o caso, do Banco de Sangue de Erechim e região. Igualmente chamou a atenção para a questão financeira, considerando que a unidade está interditada à praticamente três meses, o que significa dizer que não há produção SUS, consequentemente, não haverá aporte de recurso financeiro pelo ente público. Persistindo essa situação estamos próximos da falência da entidade.

A Direção da Amau reiterou a parceria firmada com a ABRSE e se colocou à disposição, para auxiliar naquilo que for necessário para que os encaminhamentos sejam exitosos. “ Estamos irmanados (AMAU) nesta relevante causa, e não mediremos esforços na busca de um entendimento favorável,” frizou Zarichta.
Ivan Devens também colocou à disposição a estrutura e os técnicos da 11ª Coordenadoria Regional de Saúde, para auxiliar nos encaminhamentos.

Anúncio Patrocinado