Após tomar a iniciativa de importar milho da Argentina para suprir as dificuldades no mercado brasileiro, agroindústrias de aves e suínos buscam ainda outras alternativas que possam evitar uma baixa oferta do grão na próxima safra e novos picos nos custos de produção. Na semana passada, dez navios foram embarcados no país vizinho para abastecer unidades de produção, especialmente da Região Sul.

 Diretor executivo do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Estado do Rio Grande do Sul (Sips), Rogério Kerber conta que outro caminho possível seria a compra do grão do Paraguai.

– Teria que ser calculado o impacto disso no preço final para saber se vale a pena. No Rio Grande do Sul o custo logístico pesaria duas vezes: trazendo o milho de lá para cá e depois levando a carne abatida aqui para o centro do país, onde é vendida – afirma Kerber.

Anúncio Patrocinado