Na quinta-feira santa ou na véspera ou mesmo em dias anteriores, Arcebispos e Bispos diocesanos presidem a chamada Missa do Crisma para a bênção dos óleos do batismo e da unção dos enfermos, a consagração do óleo para da crisma e das ordenações presbiterais e episcopais e a renovação dos compromissos de ordenação dos padres.

Como a Diocese de Erexim está em vacância episcopal, o Arcebispo de Passo Fundo, Dom Rodolfo Weber, presidiu a referida missa na Catedral de Erechim, dia 08 de abril, quarta-feira da Semana Santa, às 20h, com transmissão de 7 rádios da região e possivelmente outras e do face book do Santuário.

Outro Bispo de Passo Fundo presidiu tal missa em dois anos há algum tempo pelo fato de o então Bispo Dom Girônimo Zanandréa se encontrar hospitalizado. Neste ano, a missa teve a participação presencial de apenas alguns padres, representando os outros.

A presença solícita de Dom Rodolfo foi motivo também de reforçar a comunhão com a Província Eclesiástica de Passo Fundo, à qual pertence a Diocese de Erexim, junto com a de Frederico Westphalen e Vacaria. Fez recordar ainda que a Diocese de Erexim foi desmembrada integralmente da de Passo Fundo há quase 50 anos.

Dom Rodolfo iniciou a homilia observando que a celebração tinha a participação presencial de poucos padres, mas que muitos estavam unidos a ela pelos meios de comunicação. Assim se vive a comunhão que é mais do que a presença física. Caracterizou o momento atual como tempo particular. Um vírus invisível alterou radicalmente o ritmo da sociedade, mas também abriu portas para outras possibilidades. Levanta diversos questionamentos, a religião é essencial e qual o papel dela se a ciência é que pode dar a resposta ao problema. Porém, se fosse assim, por que ela não a está dando? Qual a missão da Igreja neste contexto? Sentimos falta das celebrações litúrgicas? E a Semana Santa como fica? Como nos sentimos como pessoas de fé? Ressaltou que os discípulos de Cristo vivem nesta realidade concreta. Depois, relacionou a situação com o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, Vida, Dom e Compromisso. Enfatizou que e o egoísmo, a criminalidade, a concentração dos bens e da renda, decorrentes da maldade humana, matam mito mais e continuamente do que o Coronavírus. Convidou a louvar a Deus por tudo de bom que se passou desde a Páscoa passada até a deste ano. Seguiu referindo-se à vida e ao ministério do padre, seu compromisso com a vida, com o anúncio dos princípios fundamentais para a vida humana, com o zelo pastoral, à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e do Plano Diocesano. Concluiu lembrando que a missão da Igreja é o anuncio da Boa Nova e da esperança, que não engana e na qual fomos salvos.

No final da celebração, o Administrador Diocesano agradeceu a solicitude do Arcebispo em vir presidir a celebração e convidou o Pe. Cleocir Bonetti, coordenador da Cúria, a entregar-lhe pequeno sinal de gratidão. Pe. Dirceu Balestrin, coordenador da Pastoral Presbiteral, dirigiu saudação a todos os padres. Pe. Alvise Follador, Pároco da Catedral, comunicou o horário das celebrações do tríduo pascal, ainda sem a participação presencial do povo, e agradeceu às rádios que transmitiram esta celebração da comunhão diocesana e ao serviço do face book do Santuário que a transmitiu em seu canal no Youtube, monitorado por Edson Luiz Rosa.

Anúncio Patrocinado