O Rio Grande do Sul vai utilizar o sinal aberto da TVE para oferecer videoaulas aos estudantes do ensino médio em meio a pandemia do coronavírus. A intenção do governo estadual é colocar em prática as atividades a distancia até o fim de maio. Diariamente, serão exibidas 4 horas de aula, de diferentes matérias. O conteúdo também poderá ser reprisado no dia seguinte.

A ideia de utilizar o canal público para atividades de ensino partiu do governador Eduardo Leite. A plataforma foi elaborada em conjunto pelas secretarias de Comunicação e Educação. A atividade, direcionada para estudantes de 16 a 17 anos, será utilizada como reforço para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2020, previsto para ocorrer no fim do ano.

Desde a metade de março as aulas estão suspensas no Rio Grande do Sul. O Piratini informou que o calendário letivo das escolas públicas será retomado em 1º de junho. O governador informou que o recesso de julho foi antecipado para maio.

Além de apresentar videoaulas e outros conteúdos pedagógicos, a secretária estadual de Comunicação, Tânia Moreira, destacou que a nova programação poderá ser aproveitada por todos os interessados, durante este período de isolamento social provocado pela pandemia.

“Este projeto é muito interessante porque vamos conseguir chegar nos jovens que estão se preparando para o Enem. Como esta proposta vai tratar de um ‘pré-Enem’, nós vamos conseguir, com a tevê aberta, atingir não somente os alunos da rede pública, mas todos os interessados que querem assistir aos conteúdos, podendo fazer isso pelo sinal aberto. É muito interessante e relevante”, ressaltou.

A pasta da Comunicação ficou incumbida de realizar o serviço técnico e operacional de estúdio, assim como edição de conteúdo e alteração da grade de programação da TVE. Já a secretaria da Educação será responsabilizada pelo conteúdo didático.

“Após uma série de desafios, em virtude da pandemia, elaboramos um curso semi-intensivo para auxiliar os alunos na preparação para esse período de exames. A formação, que será ministrada por professores da rede, garantirá o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos e a qualificação necessária dos estudantes para o ingresso no Ensino Superior”, explicou Faisal Karam, secretário estadual da Educação.

A grade da TVE já está sendo revista para incluir a nova programação educacional. Hoje, o sinal da emissora abrange toda região Metropolitana, além de outras 13 cidades gaúchas: Alegrete, Santa Cruz do Sul, Erechim, Carazinho, Palmeira das Missões, Frederico Westphalen, Itaqui, Santana do Livramento, Santa Bárbara do Sul, Santa Rosa, Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga e Vacaria.

Sobre a possibilidade de incluir o conteúdo pedagógico nas ondas da FM Cultura, Tânia Moreira frisou que esta alternativa ficará para uma segunda etapa.

Assembleia também discute aulas via TVE

Se o Executivo já vinha estudando a possibilidade de usar a TVE, neste período de pandemia para suprir as atividades escolares, a deputada Juliana Brizola (PDT) também já tinha protocolado um projeto na Assembleia com este mesmo fim: utilizar os sinais públicos de tevê e rádio para aplicação de aulas. Hoje, o texto recebeu aval para tramitar na Comissão de Constituição e Justiça da Casa.

Em função da discussão do tema no Parlamento, a secretária de Comunicação adiantou que pretende verificar com a deputada Juliana o teor da proposta dela para formatar a melhor plataforma possível. “Eu quero dar uma olhada no projeto todo. Mas, acho que todo encaminhamento neste sentido é bem vindo. Sendo viável de fazer, nós estamos absolutamente dispostos para dialogar”, disse.

A TV Assembleia já colocou a disposição o sinal para transmitir as aulas em horário alternativo ao da TVE.

Anúncio Patrocinado