De acordo com as regras da Receita Federal, o pagamento da restituição respeita a ordem de entrega da declaração e as prioridades legais, como idosos e pessoas com deficiência.

Apesar de o prazo final para entrega da declaração do Imposto de Renda 2020 ter sido postergado para o dia 30 de junho, o calendário de pagamento da restituição do IR continua o mesmo. O primeiro lote será pago já no dia 29 de maio.

O lote da restituição no qual o contribuinte receberá a restituição, caso tenha direito, é definido pela regra de tempo, segundo a Receita Federal. O órgão informa que, para a formação de cada lote, são levadas em consideração as declarações transmitidas e processadas até a data de emissão do lote. A emissão ocorre, em geral, cerca de 15 dias antes da data de pagamento.

Além disso, dentro do próprio lote, a restituição ainda respeita as prioridades definidas por lei. São elas: idosos, pessoas com deficiência física ou intelectual ou de moléstia grave, e contribuintes que tenham como maior fonte de renda o magistério.

Em resumo, recebem primeiro a restituição os contribuintes que se encaixam nas prioridades legais, seguidos pelos demais contribuintes conforme a data de entrega da declaração – quem enviou antes deve receber o pagamento antes.

Segundo a Receita, 14 milhões de contribuintes já tinham entregue a declaração do IR até as 11h da manhã desta quarta-feira, 13. No total, devem ser entregues 32 milhões de declarações este ano.

Confira o cronograma dos lotes da restituição do IR 2020:
1º lote: 29 de maio
2º lote: 30 de junho
3º lote: 31 de julho
4º lote: 31 de agosto
5º e último lote: 30 de setembro

Anúncio Patrocinado