Como o esperado, a indústria do Rio Grande do Sul recuou em março, quando o avanço do coronavírus levou à suspensão de produção em diversas fábricas. O indicador do IBGE foi bastante negativo, apontando uma queda de 20,1% sobre fevereiro. Foi o segundo pior resultado do país, atrás apenas do Ceará. Além disso, a queda é o dobro da média nacional, que ficou em -9,1%.

Em relação a março de 2019, a queda também é forte, de 13,7%. Com isso, o acumulado de 12 meses fica zerado no setor importante para a economia e grande gerador de renda, sem queda ainda, mas também sem crescimento algum.

O IBGE considera 232 produtos no levantamento do Rio Grande do Sul. O maior impacto para os indicadores negativos veio do segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias.

O IBGE já divulgou o desempenho dos outros setores da economia gaúcha em março. Os serviços recuaram 11%, puxados pelo tombo de 34% no turismo. Já o varejo vendeu 5,1% menos, com queda de 50% nas lojas de roupas e calçados, mas avanço de 10% nos supermercados.

Anúncio Patrocinado