Agosto chegou com o menor mapa de risco das últimas quatro semanas no Estado. Ao atualizar o sistema de distanciamento controlado, nesta segunda-feira (3), o governador Eduardo Leite anunciou seis regiões em bandeira vermelha: Porto Alegre, Canoas, Taquara, Novo Hamburgo, Passo Fundo e Lajeado. As regras mais restritivas entram em vigor nesta terça-feira (4).

Após análise do gabinete de crise, foram acatados os pedidos de reconsideração de outras seis regiões. Dessa forma, ficam sob bandeira laranja Bagé, Pelotas, Palmeira das Missões, Caxias do Sul, Santo Ângelo e Santa Rosa.

Com o resultado do julgamento dos recursos, 165 dos 497 municípios gaúchos permanecem sob alerta crítico para contágio do coronavírus. Nessas cidades, vivem 5,6 milhões de pessoas, cerca de metade da população estadual. Todavia, 65 prefeituras poderão adotar parâmetros de bandeira laranja por não terem registrado nenhum óbito ou hospitalização nos últimos 14 dias.

Logo no início da transmissão, o governador fez questão de citar a marca das 2 mil mortes por covid-19 alcançadas no Estado. Ao se solidarizar com as famílias das vítimas, Leite lembrou que o Rio Grande do Sul tem o quarto menor índice de óbitos entre as unidades da federação.

— Como estatística, é um percentual, mas para quem perdeu a vida é 100% — comentou.

Diante das constantes críticas ao modelo das bandeiras e das reclamações de entidades empresariais por uma urgente retomada da atividade econômica, o tucano citou que o sistema concebido pelo governo resultou em menores taxas de incidência de contaminação, de letalidade e de perda da arrecadação, em comparação com outros Estados.

Segundo Leite, a receita encolheu 5,7% ante uma média nacional de 15%. Quase ao final da transmissão, ao verificar uma melhora nos indicadores sanitários, ele acenou com a possibilidade de flexibilização nos freios impostos pela bandeira vermelha à atividade econômica.

— Podemos admitir discutir protocolos para bandeira vermelha com funcionamento de atividades comerciais que hoje estão restritas — afirmou.

A promessa de Leite está baseada na melhora da percepção do comportamento da pandemia. Desde 14 de julho, não havia tão poucas regiões sob bandeira vermelha. O cenário mais crítico continua sendo a Região Metropolitana e Passo Fundo, no norte do Estado. Canoas, Porto Alegre e Taquara nem sequer recorreram. Já Novo Hamburgo e Passo Fundo tiveram os recursos indeferidos, assim como Lajeado.

Entre as regiões contempladas está Caxias do Sul, cuja última semana sob bandeira laranja havia sido de 7 a 13 de julho. Apesar do recuo nas restrições, o governador lembrou que a estabilização dos indicadores ainda está em um patamar elevado. O cenário é semelhante em Pelotas, onde houve redução na ocupação hospitalar, nas aumento no número de mortes.

Em Santo Ângelo e Santa Rosa, houve queda nos óbitos, boa disponibilidade de leitos e um índice considerado baixo na relação entre casos ativos e casos recuperados. Esse último critério também ajudou Palmeira das Missões e Bagé a permanecerem em bandeira laranja.

— Estamos na expectativa de termos um mês de agosto mais tranquilo — suspirou o governador.

Anúncio Patrocinado