Vítima, identificada como Edvaldo Tonatto, 52 anos, era representante comercial de joias. Crime ocorreu na quinta-feira

A Brigada Militar prendeu, na madrugada desta sexta-feira (4), três homens em uma área de matagal de Presidente Lucena, no Vale do Sinos. Eles são suspeitos de um assassinato ocorrido na quinta-feira (3), durante roubo a uma ótica e joalheria na cidade de Feliz, no Vale do Caí.

A vítima era representante comercial e foi baleada após reagir ao assalto.

Um grande efetivo da corporação localizou os três criminosos pouco antes das 2h, no interior do município. O trio estava com colete balístico e armas.

As buscas começaram logo após o crime e já haviam resultado na prisão de outro suspeito. O trabalho da BM continuou com mais de 30 policiais até os demais serem localizados. Eles não tiveram os nomes divulgados, principalmente porque as vítimas do estabelecimento comercial viram apenas dois ladrões entrando no local.

A Polícia Civil investiga o caso, e o objetivo é verificar qual teria sido a participação de cada um, tanto é que não se descarta que os homens que estiveram na loja receberam ajuda para tentar se esconder. Os dois carros utilizados por eles na fuga já foram localizados. Como havia marcas de sangue em um dos veículos apreendidos, a polícia acredita que um dos homens ficou ferido pelos disparos do próprio comparsa durante o assalto.

Em relação ao latrocínio, a vítima foi identificada como Edvaldo Tonatto, 52 anos. Ele trabalhava como representante comercial de joias e era natural de Barão de Cotegipe, no norte do Rio Grande do Sul.

O crime ocorreu por volta das 9h de quinta-feira na ótica e joalheria Pérola, localizada na área central de Feliz. Tonatto levou dois tiros, nas regiões do tórax e do pescoço, e chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital Municipal Schlatter, mas não resistiu.

Anúncio Patrocinado