O morador das zonas rurais gaúchas tem na experiência de vida que é preciso saber resolver tudo sozinho. Desde cedo é orientado a cuidar da lavoura, dos animais e da casa. Porém, quando envolve na lida do campo a energia elétrica, a melhor solução é a prevenção.

Acidentes com energia elétrica são perigosos e podem ser fatais. Na área rural, a população pode estar mais exposta a diversos fatores que levam a esses acidentes, seja por intempéries ou por ação equivocada do homem. Somente nos primeiros 6 meses deste ano, três pessoas morreram em acidentes com a rede elétrica em regiões rurais do estado. O Rio Grande do Sul foi, em 2018, o terceiro estado brasileiro com maior número de mortes em decorrência de choques elétricos, com 37 óbitos, de acordo com os dados do Anuário Estatístico ABRACOPEL de Acidentes de Origem Elétrica 2019. Em todo o Brasil, foram 1.424 acidentes envolvendo choques elétricos em 2018. A ABRACOPEL é a Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade.

A RGE, distribuidora do Grupo CPFL que atende 381 municípios gaúchos, alerta os produtores rurais e moradores de áreas não-urbanas sobre como proceder para evitar acidentes, que podem ocorrer tanto na colisão de uma máquina agrícola de grande porte com a rede, como num conserto das instalações domésticas.

Um dos principais cuidados que o homem do campo deve ter é com as linhas de transmissão, jamais construindo ou armazenando produtos embaixo dessas estruturas. As linhas de 69, 88 e 138 kV têm faixas de domínio de 30 metros (15 para cada lado) e as linhas de 34,5 kV faixas de 20 metros, conforme determina a Norma Técnica NBR 5422, da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. É proibido o plantio e a colheita de qualquer espécie nas faixas de domínio.

Confira a seguir uma série de orientações da RGE para evitar acidentes com a rede elétrica rural.

  • Manter distância da rede ao manobrar pulverizadores, colheitadeiras e outros equipamentos. Evitar estacionar o maquinário agrícola embaixo da rede.
  • Não se aproximar dos estais, que são os cabos de aço de sustentação de torres e postes.
  • Caso um cabo caia sobre o veículo ou venha a encostar na rede elétrica, o motorista jamais deve tentar sair. Deve chamar a RGE, que desligará a rede antes do resgate o condutor.
  • Outro ponto que sempre requer atenção é na colheita em pomares ou ao lidar com irrigadores. Deve-se ter cuidado ao subir em árvores para colher frutos ou realizar podas, mantendo distância da rede elétrica.
  • Nunca deixar que o jato de água do irrigador se aproxime dos fios ou da estrutura da rede elétrica.
  • Fazer queimadas perto das linhas de transmissão ou de distribuição também pode danificar as estruturas, causando a queda dos postes e torres, provocando curto-circuito, rompimento de cabos e interrompendo o fornecimento de energia para grandes áreas, até cidades inteiras, além de colocar em risco a vida das pessoas.

Para evitar que outros acidentes aconteçam, o Grupo CPFL desenvolve campanhas permanentes de alerta e orientações. Desde o começo de 2020 está em andamento a campanha “Guardião da Vida”, voltada aos 2,9 milhões de clientes nos 381 municípios da área de concessão da RGE, incluindo os trabalhadores em áreas rurais.

O objetivo é conscientizar a população para os perigos que o mau uso da energia elétrica pode representar e a importância de se tomar todas as precauções, reforçando os cuidados com a saúde e a segurança no trabalho. Quem quiser saber mais pode acessar www.guardiaodavida.com.br, onde é possível ver dicas e orientações para o dia a dia do ambiente profissional e doméstico.

A RGE alerta também em relação ao perigo de choque elétrico com fiação rompida na rede de distribuição de energia. Nesse caso, as pessoas devem entrar em contato imediatamente com a concessionária pelos canais de atendimento e jamais se aproximar ou tocar em quaisquer equipamentos.

 

Anúncio Patrocinado