A Polícia Civil de Barracão, no norte do Estado, recebeu o resultado da necropsia e confirmou que Liliane Lopes Marques, 29 anos, não morreu por afogamento e sim por traumatismo craniano causado por um objeto contundente. O corpo da jovem foi encontrado no Rio Uruguai na última segunda-feira (5).

Bombeiros seguem, pelo quarto dia consecutivo, as buscas ao namorado dela, Patrik Vanz Zotti, 24 anos. O carro dele foi encontrado abandonado no sábado (3), sobre a ponte que dá acesso à cidade, com marcas de sangue no porta-malas.

O delegado José Marcos Falcão, que responde por Barracão, município próximo de Lagoa Vermelha, divulgou na manhã desta quarta-feira (7) o laudo da necropsia de Liliane — que, além da causa da morte, apontou que não havia água nos pulmões da vítima. No entanto, a polícia ainda está averiguando como a morte teria ocorrido.

Ainda no sábado, a mulher havia almoçado com os patrões — no município — junto com o namorado. Mas, depois disso, os dois não foram mais vistos por familiares.

O veículo de Patrik foi encontrado no mesmo dia, parado na BR-470, na ponte que liga o Rio Grande do Sul a Santa Catarina. Dentro do carro havia relógio, documentos e dinheiro. O delegado diz que já suspeitava de traumatismo craniano de Liliane porque o porta-malas do veículo e o parapeito da ponte tinham manchas de sangue.

— Por enquanto, é cedo ter uma ideia do que houve, mas depois de ouvirmos várias pessoas que conheciam eles, pelo menos concluímos que não tinham histórico de brigas, não tinham inimigos também, até porque nenhum deles esteve envolvido anteriormente com a polícia. Mesmo com algumas linhas de investigação, ainda não se tem motivação para nenhuma delas — explica Falcão.

Apesar de a polícia ter apreendido vários objetos dentro do carro, os celulares do jovem e da namorada não foram localizados. Outros laudos periciais seguem sendo aguardados, como digitais no veículo e sobre as marcas de sangue localizadas, entre outros. Falcão trabalha com algumas hipóteses, entre elas feminicídio. Mas também revela que chinelos foram encontrados ao lado do carro na cabeceira da ponte.

Buscas

As buscas a Patrik seguem pelo quarto dia consecutivo em um local onde o Rio Uruguai tem 60 metros de profundidade e uma largura de meio quilômetro. São mais de 15 bombeiros militares e voluntários, além de pescadores em cinco barcos fazendo varredura em área de pelo menos 30 quilômetros de extensão.

O trabalho dos mergulhadores de Porto Alegre terminou na terça-feira (6) em uma área onde a profundidade era de 40 metros e, após essa distância, os mergulhos podiam apresentar riscos aos bombeiros. O comandante dos Bombeiros Voluntários de Barracão, Juliano Bergamo, diz que estão atuando seis pessoas da corporação da cidade,  além de pelo menos oito bombeiros militares de Lagoa Vermelha e São José do Ouro.

Também estão atuando como voluntários, quatro pescadores, sendo dois deles familiares de Zotti.

— Cada pescador, que tem licença para navegar no rio, recebe o apoio de dois bombeiros. Nosso trabalho começou às 6h e vai até 18h. Ontem (terça-feira), vasculhamos 25 quilômetros de extensão e hoje (quarta-feira) será mais ainda e a profundidade pode aumentar ainda para até 90 metros — ressalta.

Bergamo ainda destaca que a morte de Liliane deixou a cidade perplexa. Segundo ele, que conhecia a vítima, ninguém poderia imaginar que um fato desses poderia ocorrer com o casal. O comandante diz que a mulher e o namorado sempre tiveram uma boa relação com os moradores e que estavam juntos há pouco tempo.

Anúncio Patrocinado