Na terça e quarta-feira (06 e 07) empresários do setor de Eventos de Erechim organizaram em evento Piloto, tendo com objetivo encontrar caminhos; criar estratégias; esclarecer o público em geral sobre as ações seguras a desenvolver; sensibilizar autoridades públicas para a retomada das atividades; sustentar uma alternativa viável e segura propondo a retomada das atividades de todos os segmentos de eventos, com protocolos já utilizados em Estados como Santa Catarina.

Segundo um estudo realizado em 2013 pela Associação Brasileira de Empresas de Eventos, SEBRAE e Universidade Fluminense, a indústria de Eventos impacta mais de 70 setores da economia e já é responsável por 12,93% do PIB gerando um impacto de R$ 936 bilhões na economia e 25 milhões de empregos em toda a cadeia. No Rio Grande do Sul, estima-se que este mercado movimente anualmente 2 bilhões de reais e gere 500 mil empregos diretos e indiretos.

Com a crise do Covid-19, o setor de eventos foi o primeiro setor a ser impactado pela necessidade do isolamento social.

Os protocolos existentes já indicam e orientam ações a serem adotados nos locais, que garantam a segurança tanto de trabalhadores como do público, quanto a prevenção e combate ao avanço da COVID- 19, em um cenário de retomada gradual das atividades do setor.

Os empresários de eventos, queremos trabalhar em sintonia com as autoridades, gerando segurança a todo ecossistema e com compromisso entre todos os usuários. Quer seguir as alternativas de abertura gradual dos eventos de acordo com o número de pessoas envolvidas seguindo o distanciamento controlado em cada bandeira, conforme já é liberado em estados vizinhos. Santa Catarina conta com protocolo onde nas regiões de bandeira laranja os eventos são liberados com público ocupando, no máximo 40% da capacidade do estabelecimento já nas regiões de bandeira amarela os eventos são liberados com público ocupando, no máximo 60% da capacidade do estabelecimento (conforme PPCI). Em ambas as situações, público e trabalhadores devem utilizar máscaras, assim como o uso de álcool gel é obrigatório na entrada e em locais estratégicos.

Segundo os organizadores, eventos clandestinos ocorrem o tempo todo e as empresas que realizam eventos estão impossibilitados de exercer suas atividades de forma legal.
O Evento contou com a presença dos candidatos a prefeito de Erechim, representante da ACCIE e representante da CDL.

Os candidatos à prefeitura de Erechim mostraram-se engajados nesta campanha para o retorno dos eventos sociais.

Anúncio Patrocinado