A Polícia Civil de Campinas (SP) investiga uma mulher que levou até uma agência bancária um idoso morto em uma cadeira de rodas para fazer prova de vida. A mulher, que dizia ser companheira do idoso, tentava sacar a aposentadoria do ex-escrivão de 92 anos. Agora, ela deve responder por estelionato. As informações são do portal G1.

O caso foi descoberto pois durante o atendimento, ocorrido no dia 2 de outubro em uma unidade do Banco do Brasil, a mulher disse que o suposto companheiro estava passando mal, na tentativa de ser atendida mais rápido. O Corpo de Bombeiros foi acionado e constatou que homem já estava morto e que o óbito teria ocorrido havia algum tempo.

De acordo com a corporação, diante da “rigidez cadavérica”, a suspeita era de que o idoso estava morto havia pelo menos 12 horas. O laudo necroscópico confirmou a hipótese dos bombeiros. O corpo do idoso foi enterrado no dia seguinte.

Como a equipe suspeitou da situação, a Guarda Municipal e a Polícia Militar foram acionadas, levando a mulher à delegacia. O delegado regional afirmou ao G1 que será instaurado inquérito por estelionato.

Anúncio Patrocinado