Quem lembra do justificado pânico que se abateu sobre os colorados quando Paolo Guerrero sofreu a grave lesão no joelho direito e foi determinado que ele estava fora da temporada não imaginava que, meses depois, o setor de ataque do time tivesse uma reposição de bom nível e com quantidade de atletas.

Em meio a uma fase positiva em todas as competições, o trabalho dos dirigentes surtiu efeito para preencher a lacuna. Hoje, o Inter tem três centroavantes experimentando um bom momento, todos capazes de dar uma resposta suficiente para a necessidade ofensiva da equipe.

Quando Guerrero se machucou, a única reposição específica era Yuri Alberto, que recém tinha sido contratado e ainda não tinha ritmo para jogar ou estofo de assumir a responsabilidade. Para piorar, o jovem atacante sofreu uma lesão que o tirou dos campos por mais de três semanas.

Demorou um pouco para que o clube contratasse dois estrangeiros. Primeiro, chegou o uruguaio Abel Hernández e, depois, o argentino Leandro Fernández. Numericamente havia a reposição, mas só agora se tem a certeza de que tecnicamente está suprida a carência.

Hernández deu uma boa resposta no início, mas sofreu alguma contestação. Fernández foi titubeante nas primeiras partidas, cometeu um erro ao ser expulso contra o América de Cali e perdeu pontos. Yuri Alberto se recuperou da lesão muscular, mas contraiu covid-19 antes de retomar as atividades normais. Enquanto isso, Thiago Galhardo empilhava gols, se mostrava como verdadeiro substituto de Guerrero, mas estava carente de um parceiro.

As últimas semanas estão deixando Galhardo, Eduardo Coudet e a torcida colorada mais tranquilos. Abel Hernández está totalmente integrado à equipe. Faz gols, dá assistências ou simplesmente participa de jogadas decisivas do jeito que dá. Leandro Fernández desencantou como goleador ao marcar contra o Atlético-GO pela Libertadores e ter boa atuação. Ali, ele apagou a má impressão deixada na Colômbia. Yuri Alberto, por sua vez, já entrou bem em alguns jogos, deixou sua marca diante do Sport e revelou-se com muito bom entendimento com Thiago Galhardo.

Contra o Corinthians e nos próximos jogos, seja da competição que for, Coudet terá três opções para colocar de parceiro do artilheiro Galhardo. Yuri Alberto, talvez pela juventude, é o que imprime mais eletricidade e qualidade técnica, mas Abel Hernández se vale da experiência.

Dos três, o que ainda se mostra em desvantagem é Fernández, mas o gol e a movimentação em Goiânia despertaram um novo tipo de apreciação por parte do torcedor. O técnico o conhece bem dos tempos de Independiente. A lista tríplice está posta. Onde já houve tristeza e pânico, hoje há calmaria.

Anúncio Patrocinado