Os Estados Unidos continuam nesta quinta-feira (5) sem saber quem será seu próximo presidente: dois dias após as eleições, o candidato democrata Joe Biden manteve sua vantagem sobre o presidente republicano Donald Trump, que denunciou fraude e anunciou vários processos questionando a contagem de votos.

O ex-vice-presidente de Barack Obama se aproxima da Casa Branca após ser declarado vencedor em Michigan e Wisconsin, e avançar em Pensilvânia e Geórgia, embora tenha perdido terreno no Arizona. Esses Estados — todos vencidos por Trump em 2016 — são a chave para a vitória na eleição.

Biden soma 253 ou 264 votos no colégio eleitoral, e Trump, 214. Para chegar à Casa Branca é necessário obter 270 dos 538 votos do Colégio Eleitoral, segundo o sistema norte-americano de sufrágio universal indireto.

A diferença de 11 votos no colégio eleitoral para Biden se deve ao fato de que na noite da eleição, a agência AP e a rede Fox News lhe deram a vitória no Arizona, mas outros meios de comunicação garantem que o resultado permanece indefinido.

Dependendo dos dois cenários, Biden precisa de seis ou 17 votos no colégio para atingir o número mágico, que poderá obter em Nevada (6), Geórgia (16) ou Pensilvânia (20) talvez ainda nesta quinta-feira (5).

— Acho que será um dia muito positivo — disse a gerente de campanha democrata, Jennifer O’Malley Dillon.

Os votos

Biden, de 77 anos, liderava em Nevada com uma vantagem mínima de 8 mil votos com 86% dos votos apurados. Neste Estado, onde Hillary Clinton venceu em 2016, muitos dos votos pendentes vêm de áreas que tendem a votar nos democratas.

Trump, de 74 anos, liderava a corrida na Geórgia e na Pensilvânia, embora Biden tenha diminuído a diferença nas últimas horas.

A Geórgia tem sido um reduto republicano tradicional, mas pode cair nas mãos dos democratas pela primeira vez desde o triunfo de Bill Clinton em 1992.

Na Pensilvânia, o Estado natal de Biden, Trump liderava com 91% dos votos, mas estima-se que os votos pelo correio que ainda precisam ser contados irão principalmente para os democratas.

A pedido da campanha de Trump, um juiz ordenou que as autoridades locais permitissem que observadores republicanos entrassem no centro de convenções da Filadélfia onde as cédulas são contadas.

Anúncio Patrocinado