Na rodada em que o modelo de distanciamento controlado completa seis meses de vigência, o mapa preliminar do Rio Grande do Sul traz três regiões em bandeira vermelha, de alto risco epidemiológico para o coronavírus. Conforme o anúncio desta sexta-feira (6), outras 16 regiões estão classificadas em bandeira laranja (de risco médio) e duas em bandeira amarela (risco baixo).

O mapa definitivo da próxima semana será divulgado na segunda-feira (9).

Conforme o governo do Estado, as regiões de Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo apresentaram piora nos indicadores e passaram para bandeira vermelha. Nas regiões de Erechim e Bagé, foi percebido o contrário, e ambas ficaram em bandeira amarela neste mapa preliminar.

Em laranja, estão as regiões de Cachoeira do Sul, Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Guaíba, Lajeado, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Palmeira das Missões, Pelotas, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Taquara e Uruguaiana.

18 regiões atuam sob cogestão

Das 21 regiões covid do Estado, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não aderiram ao sistema de cogestão do distanciamento controlado. As outras 18 adotam protocolos alternativos às bandeiras definidas pelo governo — Santa Maria, Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados para aprovação da Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (Saam).

Anúncio Patrocinado