Evitar que os golpes se concretizem é considerada pelas polícias e especialistas uma das principais formas de combater esse tipo de crime. E, para isso, é necessário orientar a população. Conhecer os tipos de trapaças, saber como identificá-las, e como se prevenir delas é fundamental para reduzir as chances de se tornar nova vítima. É este o objetivo de um aplicativo lançado pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Em cenário de aumento dos estelionatos no Estado, ao longo de todo ano de 2020, a ferramenta pretende ampliar as formas de prevenção.

O aplicativo “PC Alerta!”, desenvolvido para celulares, já está disponível para o sistema Android a partir desta terça-feira (24). É possível também acessar as informações na versão para a web (veja abaixo). A ferramenta tem como base uma cartilha sobre estelionatos online que foi lançada pela Polícia Civil no mês de junho, num alerta para a ação dos golpistas. No aplicativo, constam os 15 golpes considerados os preferidos dos estelionatários e a forma como eles agem. Além disso, há dicas de como não cair na trapaça. Entre eles estão o golpe do bilhete premiado, o book fotográfico, clonagem de WhatsApp, falso sequestro e golpe dos nudes, entre outros.

Entre os golpes mais aplicados atualmente, a clonagem ou cópia do WhatsApp possui variações. Em algumas delas, os criminosos conseguem capturar a conta da vítima, a partir de um código, e em outras criam uma conta falsa em nome da pessoa, e passam a pedir dinheiro para familiares. Em Venâncio Aires, no Vale do Rio Pardo, foi verificada outra modalidade, na qual os golpistas usaram uma conta falsa de WhatsApp de uma construtora para adquirir sem pagar produtos de lojas de material elétrico – dois suspeitos acabaram presos.

Outra trapaça bastante comum e quem vendo sendo alvo de operações por parte da polícia é o golpe dos nudes. No aplicativo, ele está identificado como fotos íntimas. Esse tipo de crime, em geral, possui homens de meia idade como os principais alvos. Eles começam a trocar mensagens pelas redes sociais com uma jovem, trocam fotos íntimas, e depois passam a ser extorquidos. Os golpistas muitas vezes afirmam que a jovem era menor de idade e que o caso será comunicado à polícia, se não for feito o pagamento. Em um episódio recente, a polícia descobriu que os estelionatários usavam até um estúdio para forjar uma gravação, passando-se por policias.

O aplicativo mostra ainda outros tipos de trapaças, que têm como alvo muitas vezes os idosos. Entre elas, o golpe do motoboy (identificado no app como cartão de crédito clonado) e o conto do bilhete premiado. No primeiro, a vítima é convencida por telefone de que foi feita uma compra com seu cartão. O golpista, que se passa por atendente do banco, afirma que para fazer o cancelamento será necessário recolher o cartão. Antes disso, a vítima repassa por telefone a senha. O cartão é recolhido e os criminosos passam a utilizá-lo.

O aplicativo é uma das formas para tentar reduzir o aumento dos casos de golpes no RS. Em outubro, foram registrados 5.787 casos de golpe no Estado – 148,6% a mais do que no mesmo período do ano passado. A média alcançou 186 registros por dia, confirmando a tendência de aumento nesse tipo de crime ao longo deste ano. Desde o início do ano, já foram registrados 48.652 casos de estelionato no RS — no mesmo período de 2019 foram 21.437, elevação de 127%. Em todo o ano passado, o total foi de 25.203. O mês de julho deste ano foi o que teve o maior aumento, com 242,2%.

Segundo a chefe da Polícia Civil, Nadine Anflor, o objetivo é que em breve o aplicativo também possa ser disponibilizado para o sistema iOS. Ela acredita que o “PC Alerta!” é um meio para educar e alertar. A delegada orienta também para o fato de que as pessoas precisam estar atentas ao perfil dos estelionatários.

– Está mais do que na hora de entendermos que não existem atalhos nem soluções mágicas para os problemas e que o tipo de criminoso que aplica golpes é aquele carismático, sedutor, que fala justamente o que queremos ouvir ou oferece atalhos fáceis e praticamente irrecusáveis – ressalta.

Outra medida que foi anunciada recentemente pela Polícia Civil para combater os estelionatos é a ampliação da atuação da Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Com isso, segundo a polícia, aqueles casos de golpes que envolverem organizações criminosas terão a investigação concentrada numa mesma delegacia.

O aplicativo
Por enquanto, está disponível no Play Store (sistema Android). Mas quem quiser conferir o aplicativo pela versão web, pode acessar https://applink.com.br/pcalerta. O app traz ainda um link direto para o site da Delegacia Online (www.delegaciaonline.rs.gov.br), onde é possível fazer denúncias, ou o próprio registro de ocorrência envolvendo esses golpes, ou mesmo outros delitos.

Como se proteger de alguns golpes
Golpistas, em geral, oferecem alguma vantagem para atrair a vítima e têm pressa para obter a vantagem. Fique atento a isso
Certifique-se de que a pessoa com quem você está conversando, por WhatsApp por exemplo, é ela mesma. Para isso, uma dica é telefonar para a pessoa
Desconfie de ligações de pessoas desconhecidas e nunca repasse informações pessoais
Durante a venda de item, só entregue o produto após o dinheiro entrar na conta ou receber o valor. Não confie em comprovantes de transferência porque eles podem ser falsificados
Se tiver um familiar idoso, oriente a pessoa sobre os golpes mais comuns e como se prevenir deles
Caso seja vítima, registre a ocorrência. É possível utilizar a Delegacia Online

Anúncio Patrocinado