A RGE está destinando, através do Instituto CPFL – plataforma de investimento social privado do Grupo CPFL Energia -, R$ 4,5 milhões para incentivo à cultura no Rio Grande do Sul. É o maior investimento entre as empresas que participaram da Chamada Pública 06/2020, realizada pela Secretaria Estadual da Cultura, cujos valores vão diretamente para o Fundo de Apoio à Cultura, visando ao financiamento de projetos a serem selecionados através de editais. Os recursos são viabilizados pela Lei 13.490/2010, que instituiu o Sistema Estadual Unificado de Apoio e Fomento às Atividades Culturais – Pró-Cultura.

O presidente da RGE, Marco Antônio Villela de Abreu, comemora a iniciativa. “Nos preocupamos com o bem-estar das pessoas; e contribuir para o desenvolvimento social e da cultura do Rio Grande do Sul nos enche de orgulho. A RGE, por meio do Instituto CPFL, está novamente tendo a oportunidade de colaborar, com um dos setores mais impactados pela pandemia.

Por meio dos editais FAC das Artes e FAC Patrimônio Cultural, serão selecionados100 projetos de criação, produção, circulação e difusão das áreas contempladas, com aporte de R$ 4,5 milhões, cabendo a cada um R$ 45 mil. A seleção conta com cotas de diversidade, com vagas reservadas para negros, indígenas, transexuais e pessoas com deficiência. Serão beneficiados projetos de artes visuais, audiovisual, artesanato, culturas populares, circo, dança, livro, leitura e literatura, música e teatro.

No FAC Patrimônio Cultural os recursos serão de R$ 1,5 milhão para projetos de pesquisa, documentação, conservação, digitalização e registro do patrimônio cultural material e imaterial, além de ações de capacitação e promoção das identidades culturais. Podem participar projetos de todas as regiões do Rio Grande do Sul.

O presidente da RGE observa que, mais do que patrocinar a cultura, este é um momento que permite ajudar milhares de pessoas prejudicadas pela pandemia. “A partir dessas iniciativas estamos gerando trabalho e renda para quem atua na produção cultural e contribuindo para movimentar a economia. Nosso principal compromisso é fornecer um serviço essencial que é a energia elétrica, mas sempre que podemos também atuamos na melhoria das condições sociais e econômicas da população”, reforça Villela.

Além da RGE, as empresas Natura e Grupo Randon também contribuíram com o aporte para incentivo à cultura gaúcha.

Sobre a RGE
Responsável por distribuir 66,7% da energia elétrica consumida no Rio Grande do Sul e atender 2,9 milhões de clientes em 381 municípios gaúchos, a RGE é hoje a maior distribuidora da CPFL Energia em extensão territorial e número de cidades atendidas. A área de concessão da companhia, que é resultado do agrupamento das distribuidoras RGE e RGE Sul, realizado em janeiro de 2019, totaliza 189 mil km² de extensão, abrangendo as áreas urbanas e rurais das regiões Metropolitana, Centro-Oeste, Norte e Nordeste do estado.

Os investimentos realizados pela RGE contribuem para o desenvolvimento socioeconômico de locais de fundamental importância para a economia do estado, que vão desde fortes polos turísticos, agrícolas e pecuários, até grandes centros industriais e comerciais, trazendo mais bem-estar, conforto e infraestrutura para a vida de 7,4 milhões de gaúchos.

Sobre o Instituto CPFL
Com 17 anos de trajetória, o Instituto CPFL é a plataforma de investimento social privado do grupo CPFL Energia, responsável pela integração dos programas sociais, esportivos e culturais do grupo em uma única rede. A partir de 2020, o Instituto CPFL fortalece a frente de atenção social com investimento nos programas CPFL Jovem Geração, que apoia iniciativas voltadas para o futuro das novas gerações e o programa CPFL nos Hospitais, que apoia projetos de humanização e melhorias em hospitais públicos. Também integram as atividades da instituição: o Circuito CPFL, programa com etapas de corrida e caminhada e sessões de cinema movido a energia solar; as gravações do Café Filosófico CPFL, realizado em parceria com a TV Cultura e exibido na grade da emissora; o CPFL Intercâmbio Brasil-China, que estabelece um diálogo cultural através de filmes, concertos e palestras; e outras atividades que acontecem na sede do Instituto CPFL, em Campinas, como exposições de artes, concertos da música contemporânea e sessões de cinema.

Saiba mais em www.institutocpfl.org.br.

Anúncio Patrocinado