O mapa preliminar do distanciamento controlado do Rio Grande do Sul está pintado, quase em sua totalidade, de vermelho. Das 21 regiões covid, 20 foram classificadas como de alto risco para o coronavírus. Apenas uma área está na cor laranja, de risco médio, a de Taquara. As classificações foram divulgadas na tarde desta sexta-feira (4).

De acordo com o governo do Estado, a cor predominante do mapa reforça o alerta, emitido pelo Executivo nos últimos dias, de que é preciso que a população redobre cuidados na prevenção ao vírus. Além disso, é resultado da piora nos indicadores da doença no RS.

Estão na cor vermelha as regiões de Porto Alegre, Bagé, Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Cruz Alta, Erechim, Ijuí, Lajeado, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santo Ângelo, Uruguaiana, Guaíba e Cachoeira do Sul.

Dessa forma, 489 municípios gaúchos (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 11,1 milhões de habitantes, o que corresponde a 98% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes).

O mapa definitivo será divulgado na segunda-feira (7), após análise de recursos de municípios e associações que não concordarem com a classificação preliminar. O mapa definitivo entra em vigor na terça-feira (8).

Na atual classificação, válida até segunda-feira (7), apenas as regiões de Cachoeira do Sul e de Guaíba estão na cor laranja. As outras 19 localidades estão na bandeira vermelha. O mapa preliminar da última rodada, divulgado no dia 27, indicava todas as regiões em alto risco para a doença.

“Não é hora de aglomerações”, diz Leite

Desde o começo da semana, o governo estadual definiu regras mais rígidas no combate à doença, após observar aumento de internações por covid-19 no RS. Uma delas é a suspensão do sistema de cogestão do distanciamento controlado — mecanismo que permite que as regiões decidam por conta própria adotar restrições mais leves do que as determinadas pelo governo. Assim, todas as localidades em bandeira vermelha deverão seguir as regras previstas pelo governo gaúcho, sem flexibilizações, por pelo menos duas semanas.

— Precisamos reforçar a necessidade de cuidados e reduzir a circulação de pessoas e conter a propagação de coronavírus no RS. Agora, o que queremos é que as pessoas se encontrem menos em festas e confraternizações, ou mesmo em parques e locais públicos, onde tendem a se cuidar menos. Não é hora de aglomerações. Reduzir contatos é muito importante nesse momento, porque quebramos o ciclo de contágio — afirmou o governador Eduardo Leite ao anunciar as medidas.

Redução de leitos livres de UTI preocupa governoA equipe que monitora os indicadores do modelo de Distanciamento Controlado chamou atenção para a contínua redução de leitos livres de UTI para atender covid no Estado.Há duas semanas, havia 626 leitos de UTI livres para pacientes contaminados pela covid-19. Na semana passada, eram 522 e, nesta semana, o número caiu para 496.Assim, já são duas semanas consecutivas que o indicador da Mudança da Capacidade de Atendimento, mensurada no Estado, apresenta taxas de variação negativa.

Anúncio Patrocinado